Corinthians volta em total alto astral

Na avaliação de jogadores, comissão técnica e dirigentes a estada em Porto Feliz, de segunda-feira à noite até esta sexta-feira à tarde, só teve pontos positivos. "Se a intenção era aprimorar as finalizações e unir ainda mais o grupo, acho que foi ótima essa viagem", disse o volante Fabinho. "Se a gente fizer nos jogos o que apresentamos aqui nos treinamentos, vamos melhorar muito nosso rendimento na competição", acredita.Tom ainda mais otimista utilizou o ala-direito Edson. "Esse grupo é maravilhoso e foi muito bom dar essa parada em Porto Feliz. Conseguimos aprimorar nossas jogadas e tivemos calma para nos concentrar no nosso objetivo daqui para a frente, que é uma vaga na Libertadores."Autor do gol no empate por 1 a 1 contra o Santos, na rodada anterior, Edson acha que o time tem um dos melhores elencos do País e precisava apenas de mais tempo para corrigir pequenos detalhes. "Em São Paulo, nem sempre é possível treinar o tempo necessário." O vice-presidente de Futebol do Corinthians, Antonio Roque Citadini, lembra que, em março, a delegação corintiana já havia se hospedado na cidade do interior do Estado, mas nem hesita em afirmar que dessa vez o lucro foi maior. "Naquela época não tínhamos ainda um time definido, o elenco estava desestruturado e sobravam problemas. Exatamente o oposto do que temos hoje", afirmou.De acordo com o dirigente, a chegada de Tite mudou o ambiente na equipe. Entre um e outro elogio ao treinador, deu mostras claras de que quer mantê-lo em 2005. "Desde o momento que ele pôs o pé no clube, as coisas mudaram. Não temos motivo nenhum para buscar outra pessoa para seu lugar." O técnico, por sua vez, aceitou bem as palavras de Citadini e melhor ainda a idéia de renovar seu contrato: "Se é o doutor Roque quem está falando, ele sabe tudo, concordo com ele. O Corinthians até hoje só me deu alegria", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.