Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Corinthians x MSI: definição em breve

O imbróglio da parceria entre o Corinthians e o fundo de investimento MSI, representado pelo iraniano Kia Joorabchian, promete ter um final feliz até o início da próxima semana. Pelo menos esta é a palavra de Andrés Sanchez, conselheiro do Corinthians e um dos homens de confiança do presidente Alberto Dualib."Na semana que vem vocês (jornalistas) terão surpresas", garante. No entanto, ele descarta que seja determinado um novo prazo para que o contrato seja reavaliado. "Se não fechar esta semana, vira palhaçada." Quarta-feira, mais uma reunião acontecerá no Parque São Jorge. "Todos os dias acontecem reuniões. Hoje já tivemos uma. Ontem aconteceu outra...", desconversa o conselheiro.Coincidência ou não, o elenco profissional, estará fazendo uma intertemporada em Porto Feliz desta terça-feira até sexta-feira -no sábado, o Corinthians enfrenta o Coritiba, no Pacaembu. Uma estratégia da diretoria de desviar as atenções do clube.Confuso mesmo continuam os valores que seriam investidos pela MSI. Em uma das primeiras reuniões, conselheiros da oposição diziam que o Corinthians receberia cerca de US$ 35 milhões por dez anos de contrato.No entanto, Andrés Sanchez, um dos escolhidos por Dualib de acompanhar as primeiras negociações na viagem que fizeram à Inglaterra, fala em cifras completamente diferentes."Eles entrariam com US$ 20 milhões apenas para a parte social - possivelmente para pagar as dívidas do clube - e mais US$ 16,5 milhões ao departamento de futebol, por ano", afirma.A primeira aparição de Kia Joorabchian aconteceu no final de agosto. Quase dois meses se passaram e o Corinthians ainda não definiu se aceitará ou não a proposta. O envolvimento do iraniano com o milionário Boris Berezovski, supostamente membro da máfia russa, impediu que a negociação evoluísse com rapidez."Posso dizer que o coração do contrato está pronto. Só estamos enfrentando algumas dificuldades para adequar algumas leis inglesas às leis brasileiras. O fundo de investimentos é da Inglaterra e algumas leis de lá não casam com as leis brasileiras", complementou Sanchez.Com a chegada da MSI, Andrés Sanchez negou a possibilidade da dispensa de alguns jogadores que decepcionaram em 2004.

Agencia Estado,

11 de outubro de 2004 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.