Corintiano agredido em confronto continua em estado grave

Jovem de 25 anos está em coma induzido e teve traumatismo crânio-cefálico

Solange Spigliatti, do estadao.com.br

15 de julho de 2007 | 14h03

Piratiny Tapejara de Sales Junior, de 25 anos, torcedor do Corinthians que ficou gravemente ferido após um confronto entre torcedores do São Paulo e do Corinthians após o jogo de sábado, que acabou empatado por 1 a 1, continuava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na manhã deste domingo, 15, em coma induzido e seu estado de saúde era grave.Piratiny foi encaminhado para o Hospital Municipal do Tatuapé, na zona leste da capital, depois do confronto entre torcedores em frente ao Parque São Jorge, també, no Tatuapé. O corintiano teve traumatismo crânio-cefálico e ferimentos na boca, cabeça, barriga e escoriações nas pernas e nos braços.Após o confronto, o torcedor foi encaminhado pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal do Tatuapé, mas acabou transferido para o Hospital Alvorada, no Ibirapuera, na zona sul, ainda na noite de sábado, 14. Segundo o hospital, o torcedor passaria por cirurgias, entre elas uma plástica, mas ainda sem datas marcadas.BatalhaTorcedores de Corinthians e São Paulo travaram uma verdadeira batalha campal antes do clássico, em frente ao portão principal do Morumbi. Houve guerra de rojões, muitas pedradas e pelo menos um torcedor são-paulino foi parar no Hospital do Campo Limpo, atingido na cabeça por uma pedra.Mas o incidente mais sério ocorreu na zona leste. Na Rua São Jorge, em frente à sede do Corinthians, dezenas de são-paulinos e corintianos se enfrentaram. Segundo o Major Tadeu, comandante do 2º Batalhão de Choque da PM, o incidente ocorreu após uma emboscada realizada por torcedores da torcida uniformizada são-paulina Independente.O confronto, também à base de pedradas e pauladas e que teria envolvido cerca de 100 torcedores dos dois times, começou aproximadamente às 16h30 e teve como saldo cinco torcedores feridos. Todos foram encaminhados ao Hospital Municipal do Tatuapé. Um dos torcedores foi indiciado por tentativa de homicídio.A Polícia Militar teve de intervir para conter a briga generalizada, inclusive com o uso de um helicóptero Águia. Cinqüenta torcedores foram levados ao 52º Distrito Policial - um deles foi indiciado por tentativa de homicídio.Após a briga na entrada do Morumbi, o Jecrim (Juizado Especial Criminal) teve de convocar os representantes das duas torcidas para acalmar os ânimos e garantir uma saída tranqüila dos torcedores após a partida - somente a Independente não mandou representante.E a situação anda tão negra para o Corinthians que também antes da partida o ônibus da delegação corintiana, o Mosqueteiro V, colidiu com uma perua da TV Record ao tentar dar marcha a ré. Ninguém ficou ferido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.