Reprodução|Facebook
Reprodução|Facebook

Corintiano de torcida organizada ferido em briga está em UTI

Torcedor sofreu traumatismo craniano em confronto no Metrô

Gustavo Zucchi e Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2016 | 22h01

Um torcedor do Corinthians está entre os feridos nos confrontos entre palmeirenses e corintianos que abalaram a cidade de São Paulo antes do clássico no Pacaembu, domingo, pelo Campeonato Paulista. Raphael Menezes de Souza Vieira, de 21 anos, sofreu um traumatismo craniano durante a briga na estação Brás do Metrô. O rapaz, que é membro da torcida organizada Pavilhão 9, deu entrada no Hospital das Clínicas no domingo, às 13h43, e continua internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Os confrontos no Brás foram os mais violentos. A confusão teve início quando aproximadamente 100 torcedores do Palmeiras estavam na plataforma em direção à Barra Funda e um trem recheado de corintianos parou na mesma estação em sentido contrário.

Em um cenário bélico, as torcidas "passaram a disparar rojões e danificar os vagões com chutes e socos." A informação consta no Boletim de Ocorrência registrado no 6º DP Metropolitano. Durante a briga, um agente do Metrô viu um torcedor do Corinthians sendo agredido por um grupo de palmeirenses. Ele interferiu e tentou levar o corintiano até uma sala, no entanto, acabou atingido por um objeto quando estava na porta, sofrendo dois cortes e sangramento. Policiais militares e outros funcionários chegaram ao local para tentar controlar a situação.

"Foram danificados um rádio comunicador, placas de sinalização, vidros das portas e janelas e portas e bancos de um vagão", explica o documento. Raphael foi direcionado ao Hospital das Clínicas, e o agente do Metrô foi conduzido ao Hospital Santa Isabel, onde levou seis pontos e foi liberado. As imagens das câmeras de segurança foram solicitadas ao Metrô para dar sequência à investigação, além da perícia do vagão.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCorinthiansPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.