Corintiano é sepultado em Diadema

O enterro do corintiano Wellington Martins, 25 anos, aconteceu às 9 horas desta terça-feira, no cemitério Vale da Paz, em Diadema. Ele foi assassinado no domingo, com um tiro na cabeça ao se envolver em um conflito com torcedores do Palmeiras, algumas horas depois das duas equipes terem disputado o clássico no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro.No velório, o clima estava meio tenso. A família não permitiu que a imprensa fizesse imagens do caixão e nem mesmo do enterro. Segundo a administração do cemitério, o adeus dos familiares e amigos foi bastante movimentado.Alguns amigos de Wellington que estiverampresentes vestiam roupas da Gaviões da Fiel, a torcida organizada do Corinthians, mas não houve tumulto.Uma prima de Wellington, identificada apenas como Patrícia, contou que seu primo voltava do jogo no Morumbi com um grupo de amigos quandoforam atacados por um grupo grande de palmeirenses.De acordo com ela, o ataque começou logo depois que dois motoqueiros vestindo a camisa da Mancha Verde, torcida organizada do Palmeiras, passaram pelo grupo de corintianos no qual estava Wellington. ?Todos que estavam com o meu primo naquele momento acreditam que os motoqueiros avisaram o resto da torcida. Pelo que sei, eles já chegaram atirando?, revelou Patrícia. Ela afirmou ainda que nenhum dos corintianos portava arma de fogo. Eles carregavam pedaços de paus e madeiras que encontravam pelas ruas, mas, quando ouviram os tiros, tentaram fugir. ?Infelizmente, meu primo não conseguiu fugir a tempo?, lamentou Patrícia. ?Eu nunca soube de nenhum envolvimento de Wellington nesses tipos de confrontos. Ele era trabalhador, esclarecido. Não era nenhum ignorante para sair arriscando a vida em brigas de torcida.?Mas, de acordo com o vice-presidente da Gaviões da Fiel, Wildner Rocha, Wellington eracredenciado na torcida organizada do Corinthians.A polícia ainda não tem novidades nas investigações sobre o autor do disparo que atingiu Wellington.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.