Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Corintiano Jadson pode desistir de ir para o futebol da China

Conversas com amigos, familiares e jogadores deixaram o jogador em dúvida sobre o negócio que estava praticamente concretizado 

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

24 de fevereiro de 2015 | 23h48

O meia Jadson não está totalmente convicto de sua transferência para o futebol chinês. Conversas com familiares, amigos e jogadores deixaram o jogador em dúvida sobre o negócio que estava praticamente concretizado - a única pendência era a confirmação do pagamento de 5 milhões de euros (R$ 16 milhões). Ele acredita que seria difícil para ele e a família a mudança para um país de uma cultura tão diferente e avalia que está em um bom momento no Corinthians. A assessoria de imprensa do meia informou que não tem uma posição oficial sobre a negociação. A decisão tem de ser tomada até sexta-feira, quando se encerra a janela de transferências na China.

A diretoria do Corinthians e os representantes de Jadson tentam convencer o meia a aceitar o negócio, amplamente vantajoso, considerando a idade do jogador (31 anos). Jadson e os empresários que cuidam de sua carreira são donos de 70% dos direitos econômicos, ou seja, ganhariam R$ 11,4 milhões na transação. Como detentor de 30%, o Corinthians embolsaria R$ 4,8 milhões.

Nesta terça-feira, Jadson participou normalmente do treino com o Corinthians, no CT Joaquim Grava, mas não foi relacionado para enfrentar o Linense, quarta-feira, pelo Campeonato Paulista, por causa da negociação.


O jogador já viveu uma experiência de sete anos no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, antes de voltar ao Brasil para defender o São Paulo, é o único que impedir a negociação.

Tudo o que sabemos sobre:
Mercado da Bola, Corinthians, Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.