Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Corintianos conformados com derrota

Teria o time do Corinthians se preocupado demais com Robinho e esquecido de Giovanni? Os jogadores garantem que não. "Claro que o Robinho era um reforço importante para o Santos e que merecia nossa atenção. Mas ninguém esqueceu do Giovanni", disse o atacante Jô. "Ele (Giovanni) e o Ricardinho desequilibraram". "O time todo do Santos é muito forte e nós sabíamos disso", disse o meia Roger. "Tentamos a vitória. Não deu. Mas não podemos baixar a cabeça", acrescentou o zagueiro Betão. Mais do que lamentar a manutenção do tabu - já são quatro anos e 11 jogos sem vencer o Santos -, os jogadores do Corinthians preferiram ressaltar que, apesar da derrota, a posição do clube é privilegiada: segundo lugar, com 31 pontos, dois a menos que a líder Ponte Preta. "Não deixamos a Ponte se distanciar e nem o Inter encostar", observou Roger. Com a derrota no clássico, porém, o Corinthians deixou de alcançar sua sexta vitória consecutiva, o que não ocorre desde o Brasileirão de 99, quando conquistou o tricampeonato nacional, sob o comando de Oswaldo de Oliveira. "Não podemos perder o foco. O time vem muito bem na competição. Continuamos em segundo lugar, com dois pontos atrás do líder e duas partidas em casa pela frente", completou Roger, autor do primeiro gol corintiano (o outro foi de Rosinei). Os dois próximos jogos do Corinthians serão no Pacaembu, onde a média de público tem sido superior a 30 mil pessoas. Quarta-feira, o desafio será contra o Coritiba e, sábado, diante do São Caetano. Contratado em fevereiro, Roger minimizou o tabu santista. Os jovens Betão e Jô, criados no próprio Corinthians, reconheceram que a falta de uma vitória sobre o Santos está incomodando. A última vez que o Corinthians venceu foi em 28 de outubro de 2001. Desde então, foram 11 jogos: nove vitórias do Peixe e dois empates. "A rivalidade com o Santos aumentou muito desde então", disse Betão. "E esse tabu já está incomodando", emendou Jô. Para o jogo contra o Coritiba, o técnico Márcio poderá contar com o retorno do volante Marcelo Mattos, que hoje cumpriu suspensão. Em compensação, não terá o lateral-direito Edson, expulso hoje. O meia Carlos Alberto segue afastado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.