Corintianos confusos nas desculpas

Os jogadores do Corinthians não se entendiam na tentativa de explicar o fiasco na estréia do Campeonato Paulista, frente ao modesto Mogi Mirim. O zagueiro Anderson disse que o grande adversário foi a falta de ritmo, pois a equipe treinou apenas cinco dias em Porto Feliz. "Faltou um pouco mais de perna e de ritmo. O Mogi está se preparando há mais tempo. Infelizmente, eles tiveram apenas duas oportunidades e definiram o jogo."O goleiro Fábio Costa e o atacante Gil discordaram. Os dois preferiram ressaltar os méritos do adversário. "A questão de parte física não é desculpa. Tanto que o Corinthians correu muito mais que o Mogi no segundo tempo. Eles deram dois chutes e fizeram dois gols. O Corinthians está no caminho certo", avisou Fábio Costa. "Não temos que usar isso (ritmo) como desculpa. Jogamos melhor, mas não chegamos ao empate", complementou Gil.A opinião do técnico Tite também foi contrária ao do zagueiro Anderson. O treinador reconheceu que o Mogi jogou muito mais bola no primeiro tempo e mereceu ter feito a vantagem, que garantiu a vitória. "Não quero justificativas. Nos falta articuladores. O Carlos Alberto chegou, mas hoje não tínhamos um jogador com essa característica. Procurei isso com o Roger, com o Renato, mas o conjunto não correspondeu."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.