Corintianos em xeque contra o Atlético-MG

O Corinthians entra no gramado. Enquanto os 11 titulares seguem para o meio-campo, de onde saúdam a torcida, outros oito, ainda de agasalho, dirigem-se ao banco de reservas. Entre eles, o lateral-esquerdo Kleber e os atacantes Liedson e Gil, até pouco tempo atrás nomes quase intocáveis no clube. A cena, por mais inusitada que possa parecer, está muito perto de acontecer. Tudo depende do desempenho na partida deste domingo, às 16 horas, contra o Atlético-MG, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.Se continuarem com rendimento abaixo da crítica, como tem ocorrido nas últimas apresentações, o técnico Geninho já acenou com a possibilidade de substituí-los. Antes, é claro, terá de continuar se sustentando no cargo, missão cada dia mais complicada. Mas mesmo no caso de a diretoria decidir trocar o treinador, o ambiente ameaçador permanecerá para o trio, uma vez que a gama de descontentes extrapola, em muito, o pequeno universo da comissão técnica.Liedson não sabe o que é marcar desde que surgiram as primeiras informações sobre possíveis transferências. A partir daí perdeu a concentração e se tornou apenas mais um jogador no campo. Precisou que integrantes de uma das torcidas organizadas fossem ao vestiário para pressioná-lo, após a derrota diante do Figueirense, por 1 a 0, para que o atacante prometesse que voltaria a pensar apenas no Corinthians.Gil, por sua vez, é questionado desde o início da temporada. Beneficiado pelo fato de Carlos Alberto Parreira, admirador confesso de seu futebol, ter assumido a seleção brasileira, foi convocado para a disputa da Copa das Confederações, na França. Porém, seu desempenho foi pífio e muitos no Parque São Jorge dizem que, hoje, joga apenas com o nome. Situação semelhante vive Kleber. Muita arrogância para pouco futebol.Geninho espera que com a estréia e André Luiz no meio-campo e a volta da dupla de zaga titular, Anderson e Marquinhos, o time adquira ritmo e entrosamento para uma arrancada. Caso contrário... "Me sinto à vontade para mudar. Quem não estiver correspondendo, sai", afirmou o treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.