Corintianos esquecem goleada e já miram quebra do tabu

Derrotar o São Paulo no clássico de domingo virou questão de honra para os jogadores do Corinthians. Mesmo após a goleada sobre o Rio Claro, com direito a show de Roger, o tema no vestiário do Pacaembu na noite desta quinta-feira era um só: o jejum de quase quatro anos sem vitória sobre o rival. Dono da noite, Roger fez questão de dizer que está pessoalmente engasgado com a equipe do Morumbi. Sua estréia no Corinthians foi justamente numa derrota por 1 a 0 para o São Paulo, em abril de 2005. "Nós, empregados do Corinthians, sofremos com isso e sabemos que o torcedor sofre muito mais. Mas quero que eles fiquem sabendo que nós vamos entrar com muita força para tentar quebrar esse tabu", afirmou.Mas, esperto, o camisa 7 tratou de jogar toda a responsabilidade para o outro lado. "Levamos uma pequena desvantagem de ter jogado hoje [quinta-feira, um dia a mais que o São Paulo], e num campo pesado. Mas isso não vai atrapalhar na nossa vontade de vencer. O São Paulo tem um certo favoritismo. É o atual campeão brasileiro e o time da moda. Mas quando a bola rola a coisa muda."Marcelo Mattos espera um clima tenso até domingo. ?O clássico São Paulo e Corinthians tem um charme especial, mesmo sendo o Palmeiras o grande rival dos corintianos. Faz tempo que nós não vencemos o São Paulo. Aí, um fala daqui, o outro retruca de lá?, disse, antes da partida com o Rio Claro. ?Vamos procurar vencê-los dessa vez.?Leão, embora não tenha nada a ver com o tabu de 11 partidas sem vitórias sobre o São Paulo, também não admite perder para seu ex-clube. Muricy Ramalho foi eleito o melhor treinador do Brasil em 2006 e não seria nada mal dar um nó tático no número 1 da profissão. Para isso, o técnico prepara três jogadores para fortalecer o Corinthians: Nilmar, Jean e Eduardo Ratinho. O trio tem trabalhado pesado para melhorar a condição física e técnica. Além deles, o lateral-direito Marcos Tamandaré, contratado junto ao Sport e que será apresentado nesta sexta-feira, também pode aparecer no banco de reservas.Leão pode ser afastadoO Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) de São Paulo deve se pronunciar na segunda-feira sobre o pedido do Sindicato dos Árbitros de São Paulo (Safesp) de afastar Leão do Campeonato Paulista. No início da semana, o técnico disse temer que ?algum árbitro leve um susto na rua?.A categoria tomou as declarações de Leão como uma incitação à violência, e pediu seu afastamento ao TJD. ?Ele deveria ter mais cuidado com o que fala?, disse o presidente do Safesp, Sérgio Corrêa. O presidente da comissão de arbitragem da Federação Paulista, Coronel Marcos Marinho, não quis comentar as declarações de Leão, mas aplaudiu a iniciativa do sindicato. O técnico do Corinthians classificou como ?absurdo? o pedido dos árbitros de afastá-lo do Paulista.Atualizado às 00h21

Agencia Estado,

08 de fevereiro de 2007 | 23h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.