Corintianos fazem exames cardiológicos no Parque São Jorge

Gramado da Fazendinha fica praticamente vazio na manhã desta segunda; delegação embarca para Itu dia 2

Rafael Vergueiro, do estadao.com.br,

29 de dezembro de 2008 | 11h03

Os jogadores do Corinthians realizaram nesta segunda-feira os primeiros exames cardiológicos já visando a temporada 2009. Na sala de ginástica do Parque São Jorge, os médicos ainda submeteram os atletas a testes físicos e de resistência.Veja também: Ronaldo treina com bola na sala de ginástica do Corinthians Ouça: Mano fala pela primeira vez sobre a contratação de Ronaldo TV Estadão: as caretas do primeiro treinoConfira as novidades do mercado do futebol Paulistão 2009 - Tabela Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão   O comandante da equipe médica do clube, Joaquim Grava, supervisionou todos os exames. Até o presidente Andrés Sanches esteve no local para observar o desempenho dos jogadores. Com isso, o gramado da Fazendinha ficou praticamente vazio durante a maior parte da manhã. Apenas alguns atletas foram para o campo e correram sob a orientação dos auxiliares do técnico Mano Menezes. O atacante uruguaio Acosta, que sofreu grave lesão na reta final da vitoriosa campanha do Corinthians na Série B do Campeonato Brasileiro, seguiu seu trabalho de recuperação muscular, iniciado na última sexta-feira, na reapresentação da equipe. Já outros atletas, como o volante Fabinho, o atacante Lulinha e o goleiro Felipe, fizeram exercícios na esteira e na bicicleta além dos exames cardiológicos. O alvinegro paulista volta a treinar nesta terça-feira e folga na quarta e na quinta devido às festas de ano novo. Na sexta, dia 2 de janeiro, o elenco corintiano embarca para Itu, onde realiza a pré-temporada. A previsão é que o time retorne da cidade do interior do Estado somente no dia 21, véspera da estréia no Campeonato Paulista, contra o Barueri no Pacaembu. No entanto, é possível que a delegação volte antes para disputar um amistoso no dia 17. A realização da partida ainda não foi confirmada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.