Corintianos fazem pressão sobre Farah

Depois de ser multado pela Federação Paulista de Futebol em R$ 50 mil por ter comparado seu presidente, Eduardo José Farah, ao presidente norte-americano George W. Bush, Vampeta voltou a cutucar a entidade. Neste sábado afirmou que o bom senso deveria prevalecer e Farah depositar na conta do Corinthians os R$ 600 mil referentes à conquista do título do Campeonato Paulista. "O Farah poderia liberar a grana. Vou torcer muito para que isso aconteça, mas dessa vez ficarei quieto. Quem sabe eu faça umas faixas para que todo mundo saiba da minha reivindicação?, disse. Sentindo os efeitos negativos que suas colocações poderiam trazer, Vampeta minimizou o discurso na seqüência. "Sem fazer média, eu respeito o Farah. Mas não vou retirar nenhuma vírgula do que disse em relação à confusão que o regulamento do Campeonato Paulista gerou.? Antônio Roque Citadini, vice-presidente de futebol do clube, espera receber a premiação pelo título ainda esta semana, para que possa repassá-la aos jogadores. E negou que Corinthians esteja devendo quase R$ 2 milhões à Federação, conforme alega a entidade. "Estão dando uma dimensão que o caso não merecia. Queríamos a taça, e isso nós conquistamos. Garanto que temos crédito pelas competições organizadas pelo Farah que disputamos. A federação, por exemplo, está nos cobrando uma multa de R$ 650 mil, aplicada em 2000, só porque o Oswaldo de Oliveira (treinador da época) falou que escalaria um time misto no Campeonato Paulista. Eles que mandem essa multa para o São Paulo", ironizou. O dirigente azedou ainda mais as já estremecidas relações que mantém com Farah. "Somos filiados à Federação Paulista, mas não subordinados a ela. O Corinthians é autônomo. Por isso, informo que o clube não vai disputar a Copa Estado de São Paulo (competição que começa nos próximos dias reunindo todas as equipes do Estado, que o Corinthians disputaria com um time mesclado por juvenis e juniores). Não se trata de retaliação, mas a partir de agora só entro em competições que tragam retorno financeiro e sejam vendidas para a TV."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.