Corintianos não jogam a toalha

Os jogadores do Corinthians foram os primeiros a concordar com a torcida, que vaiou o time na saída do Pacaembu. Valdson, Alessandro e Fabinho, para citar apenas três, admitiram que o time não apresentou um bom futebol e que não mereceu vencer o Coritiba. Mas, de outra partida, ninguém jogou a toalha para a Libertadores. "Ainda temos muitos pontos pela frente. Não vamos desistir da classificação para a Libertadores, de jeito nenhum", assegurou o técnico Tite. Técnico e jogadores não se preocuparam sequer em arranjar desculpas pelo fraco desempenho de hoje. Váldson foi o primeiro a reconhecer que a equipe esteve muito abaixo do que qualquer corinthiano esperava. "Não fizemos uma boa partida e não merecemos vencer. Não é uma coisa boa ter que dizer isso mas não dá para esconder. Só acho que o pessoal deveria compreender. Nem sempre é possível jogar bem. Como se diz por aí, tem dia que é noite". Ao contrário das vezes anteriores, Váldson foi um dos poucos que receberam o reconhecimento do público durante a partida. Um arranque do zagueiro aos 38 minutos do primeiro tempo, atravessando de uma intermediária à outra, arrancou aplausos da torcida. E mesmo quando o zagueiro perdeu a posse de bola, após passar por quatro adversário, teve o seu esforço recompensado pelo carinho do torcedor. "Foi ótimo ouvir os aplausos, mas eu ficaria mais satisfeito se o time tivesse vencido", observa o zagueiro. De sua parte, Tite fez o que pode. Foi ousado nas substituições, tirou até um lateral (Renato) para a entrada de um atacante (Alessandro) mas na prática a equipe não reagiu. "Faltou criação sim", admitiu o próprio Tite. "Tivemos um pouco mais de volume e de criação com a entrada do Alessandro mas não o bastante para merecer a vitória". O treinador reconheceu ainda que esperava uma resposta melhor depois da semana inteira em Porto Feliz. "Criamos a alternativa do terceiro atacante mas a resposta é: o time não trouxe aquilo que nós esperávamos". Tite só ameaçou perder a paciência quando soube que alguém, do Coritiba, havia dito que a arbitragem prejudicou o time visitante. "Se eu pegar o scautt em cima do Gil vou ter um número de faltas suficiente para botar para fora. Então, quem disse isso, vai ter de explicar mais claramente onde eles foram prejudicados pela arbitragem". Outro jogador que não contestou o resultado e as vaias da torcida foi Alessandro. O atacante, porém, assim como o próprio Tite, disse que o Corinthians não vai desistir da Libertadores. "O que nós precisamos, agora, é ter uma sequência de três vitórias.Talvez jogando fora fique até mais fácil. Em casa, os adversários saem mais, dão maior espaço". Os dois próximos jogos são fora: o Paraná, na quarta-feira, e o Criciuma, no domingo.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2004 | 19h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.