Corintianos não se rendem a Robinho

Mesmo depois de sofrer com Robinho, os jogadores do Corinthians não se renderam ao talento do atacante santista. Do capitão Anderson a Carlitos Tevez, passando pelo técnico Tite, o discurso foi o mesmo: o Corinthians não perdeu para Robinho. Perdeu para o Santos. "O Robinho não foi o melhor. O Santos foi o melhor", disparou o argentino, que parecia até bem-humorado apesar da derrota. "O Robinho foi importante mas não ganhou sozinho. O time todo do Santos foi bem. Marcou e não deixou a gente jogar".Tevez, que não fez uma boa partida, também disse que a bola não chegou. "Se a bola não chega, não dá para jogar bem". Mas evitou usar um tom de crítica aos seus companheiros. Disse também que não sentiu a pressão. "Não senti. No Morumbi a pressão foi muito maior e nós ganhamos de 3 a 1 e fomos campeões. É que hoje o Santos foi melhor do que o Corinthians".O craque argentino também enfrentou com classe alguns questionamentos dos jornalistas, principalmente um repórter de rádio que cobrava um futebol digno de US$ 20 milhões. "Eu não jogo por US$ 20 milhões. Jogo pelo Corinthians", sintetizou o argentino, sem perder o bom humor.Tevez e o capitão Anderson foram os únicos a atender os jornalistas no vestiário. Gil só falou na saída do gramado e usou quase os mesmos argumentos que os companheiros que falaram no vestiário. "Jogamos de igual para igual no primeiro tempo e poderíamos até ter empatado o jogo mas o goleiro deles (Mauro) fez ótimas defesas. No segundo tempo, o time facilitou a marcação, deu espaço e o Santos aproveitou".Sobre o gol que ele perdeu ainda no primeiro tempo, Gil disse que não poderia ter feito melhor. "Tive de bater na bola no momento em que eu estava desequilibrado, caindo, e não tive como desviar a trajetória de onde estava o goleiro".A derrota para o Santos, além de quebrar uma série de quatro vitórias consecutivas, deixou o time mais distante do título. Os próprios jogadores admitiram isso, ao final do clássico, neste domingo. "Não digo que vamos jogar a toalha porque ainda faltam 12 jogos. Mas a situação ficou bem mais difícil, principalmente porque o São Paulo disparou na liderança".Polícia - O vestiário corintiano já estava praticamente vazio quando Kia Joorabchian apareceu. Bastante suado, o iraniano viu a derrota de sua equipe da tribuna de honra de Vila Belmiro e ficou encantado com o futebol de Robinho, que ele tentou contratar no final do ano por US$ 15 milhões. Mas não fez nenhum comentário sobre o atacante do Santos. Ao lado dele, um integrante de sua assessoria informou que o iraniano deve mesmo comparecer nesta segunda-feira, às 10 horas, na sede da Polícia Federal, para prestar esclarecimentos. A mesma fonte, no entanto, disse que o chefe não chegou a ser intimado oficialmente. "Na verdade, ele foi convidado a ir até a Polícia Federal. E nem foi uma intimação. Foi um telefonema", sintetizou a fonte.

Agencia Estado,

13 de fevereiro de 2005 | 19h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.