Corintianos proibidos de ver treinos

O Corinthians pode vetar o Centro de Treinamento para seus torcedores. Esse pode ser um dos desdobramentos da crise de relacionamento entre a torcida e o time, que teve novo episódio na derrota da equipe de Wanderley Luxemburgo para a Matonense, domingo, em Matão, por 3 a 2, com a invasão de campo por três torcedores corintianos. Um dos torcedores chegou a empurrar o zagueiro Fábio Luciano. O vice-presidente de Futebol do Corinthians, Antonio Roque Citadini, admitiu a possibilidade de se evitar que seus torcedores assistam aos treinos do Corinthians em Itaquera. "Não sei ainda se pode haver a proibição, mas vamos ver", disse o dirigente, que manteve a posição do dia anterior ao exigir que os torcedores que invadirem o campo sejam punidos com o veto de assistir ao jogo seguinte da sua equipe. Por enquanto o Corinthians ainda não está usando regularmente o Centro de Treinamento, porque o clube continua fazendo obras no local. O treino desta quarta-feira pela manhã estava marcado para Itaquera, mas teve de ser cancelado, por causa das obras. É possível que a partir de março, Luxemburgo adote o CT como local definitivo para os treinos da equipe. No Parque São Jorge, o torcedor tem livre acesso para assistir aos treinos, desde que pague a taxa de R$ 10,00, que lhe dá o direito de visitar as outras áreas do clube. Citadini afirmou que sua tese está sendo bem recebida nos meios esportivos. "Tem gente contra, mas muitas pessoas a favor. Não se pode apenas exigir mais policiamento nos estádios, ou que a justiça aja com rigor contra torcedores que se comportam inadequadamente. É preciso haver também uma proibição de caráter desportivo", disse o dirigente corintiano ao afirmar que a Polícia Militar anda muito ocupada com outras atribuições como dominar rebeliões nos presídios e combater a criminalidade nas ruas. "Só faltava agora a gente querer um policial para cada torcedor", ressaltou o dirigente. Luxemburgo também reafirmou sua posição de punir os torcedores que invadem o campo ou cometem algum outro tipo de comportamento que compromete a segurança do estádio. "A punição a esse torcedor seria comparecer a uma delegacia de polícia no dia e horário que seu time vai jogar a partida seguinte, na qual ele cometera o ato. Teria de ficar os 90 minutos lá. Aposto com vocês, que ele iria pensar melhor antes de cometer outra indisciplina", disse o treinador. A invasão de campo por torcedores foi um dos assuntos do técnico do Corinthians com seus jogadores, hoje, à tarde, no clube, na volta dos jogadores que atuaram em Matão aos treinos. "Estou fazendo um trabalho psicológico com eles, para evitar que fiquem assustados. São problemas que estou cansado de ver no futebol", afirmou Luxemburgo, que quer uma reação do time na partida contra o São Caetano, domingo, em São Caetano. "Temos de superar a fase e ter tranqüilidade para entrar em campo e procurar jogar futebol.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.