Corintianos ressaltam a garra e reclamam da arbitragem

Assim que o árbitro Roberto Silvera apitou o final do jogo contra a Católica, os corintianos explodiram num misto de raiva e alívio. Na descida para o vestiário, ao mesmo tempo em que eles comemoravam a vitória sobre os chilenos, também não escondiam a revolta contra a arbitragem do uruguaio Roberto Silvera e o assistente número um Olivier Viera, que foi o responsável pelas expulsões de Wendel e Gustavo Nery."Estamos transbordando de alegria, mas fomos muito prejudicados pelo árbitro e principalmente pelo bandeirinha. Mas quero ressaltar a atuação da minha equipe, que encarnou o espírito de luta da Libertadores. Tivemos 14 feras dentro de campo. A partir de hoje temos uma nova cara", vibrou o técnico Ademar Braga, em entrevista à Rádio Globo.O meia Carlos Alberto, autor do passe para o gol da vitória marcado por Nilmar, também ressaltou a determinação da equipe, que passou os últimos 20 minutos de jogo se defendendo com dois homens a menos. "Sabíamos que tínhamos que igualar na vontade, porque na técnica a gente ia se sobressair. Foi um jogo especial, e valeu muito a nossa garra."A delegação corintiana desembarca no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, por volta das 18 horas desta sexta-feira. Carlitos Tevez será a ausência: ele pegará uma conexão para Barcelona, na Espanha, onde gravará um comercial para uma empresa de material esportivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.