Coritiba busca explicações para má fase

A três rodadas do final da primeira fase da Copa Libertadores, o Coritiba não está correspondendo em campo à expectativa criada após a chegada de reforços no início do ano. O clube contratou os meias Igor e Capixaba e os atacantes Aristizábal e Luiz Mário, mas a experiência desses atletas não foi garantia, até agora, de bons resultados. O time fez apenas um ponto em nove disputados na competição continentaç.Para o diretor de futebol do clube, Domingos Moro, o planejamento feito pelo Coritiba no início da temporada serve para o ano inteiro, incluindo o Campeonato Brasileiro, e não apenas para a Libertadores. Ele concorda, no entanto, que a campanha no torneio continental está abaixo do esperado. "Tivemos alguns resultados, principalmente na partida dentro de casa (empate por um gol contra o Olímpia), que não podiam acontecer e isso pode prejudicar tudo o que tínhamos programado", afirmou.Entre os novos contratados, o atacante Aristizábal era o nome em que a maioria da torcida apostava, mas a realidade está sendo bem diferente. Sua estréia, que estava programada para a segunda rodada da Libertadores, precisou ser adiada por causa de suas más condições físicas. No último fim de semana, ele jogou apenas oito minutos contra o Rio Branco, pelo Campeonato Paranaense, e foi expulso. Contra o Rosário Central, Aristizábal jogou somente o segundo tempo da derrota por 2 a 0 na Argentina.Os jogadores se defendem e alegam que o grupo que disputam é um dos mais equilibrados da Libertadores. Na opinião do goleiro Fernando, o time está pagando o preço por ser montado durante a competição. "Não houve um período ideal para testes e isso prejudica o entrosamento de qualquer time. Evoluímos bastante, mas infelizmente os resultados não apareceram", lamentou.Sobre o técnico Antônio Lopes, que já foi vaiado pela torcida, o presidente Giovani Gionédis preferiu poupá-lo de qualquer crítica. "Ele não teve o tempo necessário para montar a equipe e não pode ser julgado por um início de temporada", avisou.Com um elenco enxuto e folha salarial, segundo o presidente, de R$ 1 milhão mensais incluindo os impostos, o Coritiba contratou também Josafá, Éder, Bruno, Ataliba e Rodrigo Batata para esta temporada. "Não fizemos grandes investimentos financeiros, pois a maioria dos jogadores preferiu alugar seus passes", disse Giovani Gionédis.Após a derrota na Argentina, a equipe chegou de Rosário nesta sexta-feira. Na reapresentação do elenco no sábado, no Centro de Treinamentos do Atuba, já começa a concentração para a partida contra o Francisco Beltrão, domingo, pelo Campeonato Paranaense.

Agencia Estado,

05 de março de 2004 | 18h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.