Coritiba considera positiva anulação

O presidente do Coritiba, Giovani Gionédis, disse que a decisão de Luiz Zveiter, presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), de anular as 11 partidas em que há suspeita de interferência do árbitro Edílson Pereira de Carvalho resgatou a "moralidade e a credibilidade do futebol". "Ele (Zveiter) não tinha outra posição a não ser essa", declarou Gionédis. "Pela moralidade do futebol, pela credibilidade dos investidores e pela credibilidade da torcida foi certíssima a atitude", disse. O Coritiba está envolvido no caso porque terá que enfrentar novamente o Internacional - jogo que havia perdido por 3 a 2.O presidente do Coritiba não vê nenhuma brecha para que a decisão seja contestada por qualquer clube. "O futebol brasileiro tem uma entidade de organização que se chama CBF e tem uma entidade que julga os processos. Quem está no futebol tem que submeter às regras", opinou.Gionédis acentuou que não está preocupado com a partida em si do Coritiba. "Até porque os questionamentos sobre aquela partida fizemos na época (o Coritiba questionou um pênalti que não teria sido marcado sobre o atacante Caio e não concordou com a marcação de um a favor do Inter)", disse. "Nós nos pautamos por não reclamar do juiz, mas quando se sabe que estava pré-concebido de que ia atuar no resultado, quando o juiz confessa isso, não há outro caminho a não ser anular." Ele preferiu não polemizar sobre os custos de uma nova partida. "Nada paga a credibilidade do futebol", acentuou o dirigente do Coritiba.

Agencia Estado,

02 de outubro de 2005 | 15h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.