Coritiba e Botafogo fazem 'jogo dos desesperados' no Couto

Coritiba e Botafogo fazem 'jogo dos desesperados' no Couto

Sob pressão e dentro da zona de rebaixamento, as duas equipes precisam da vitória para respirar no Campeonato Brasileiro

JULIO CESAR LIMA, O Estado de S. Paulo

22 de outubro de 2014 | 06h53

Depois da goleada por 4 a 0 sofrida diante do Figueirense, no final de semana, e segurando a lanterna do Campeonato Brasileiro, o técnico do Coritiba, Marquinhos Santos, espera recuperar os pontos perdidos e exige uma vitória da sua equipe contra o Botafogo, também na zona de rebaixamento, nesta quarta-feira, às 21 horas, no estádio Couto Pereira, em Curitiba, pela 30.ª rodada.

Para reverter a situação, porém, Marquinhos Santos espera dar mais qualidade ao meio de campo, mesmo sem o titular Hélder, que vinha agradando no setor. Neste caso, Gil ou Baraka podem entrar na posição e dar mais consistência defensiva ao time. No ataque, apesar da baixa produtividade, Zé Eduardo e o camaronês Joel devem ser mantidos.

O clube continua fechando os seus treinamentos para a imprensa, mas o clima de pressão continua. Na última segunda, a diretoria cobrou melhor resultado da equipe, mas ainda permanece com os salários atrasados.

Para o jogo contra os paranaenses, o Botafogo deverá praticamente repetir o time que empatou com o Sport, no último fim de semana. A única mudança garantida é o retorno de André Bahia à zaga. Assim, ele formará o setor ao lado de Dankler, com Matheus Menezes voltando para o banco de reservas.

"Ainda não tenho o time definido. Aquilo que eu fiz no campo (treino desta terça) é uma prévia do que eu vou montar amanhã (quarta)", despistou o técnico Vagner Mancini. "O Gabriel e o Airton vão jogar, pode ser que tenha a entrada de mais algum volante. O Carlos Alberto não tem chance nenhuma de iniciar o jogo".

Após ocupar a última colocação na tabela de classificação, o Botafogo somou quatro pontos nos dois últimos jogos e saltou para a 17.ª posição, mas uma derrota diante dos paranaenses fará com que o time seja ultrapassado pelo próprio Coritiba. Por isso, Vagner Mancini considera até mesmo o empate um bom resultado. "O ideal é vencer. A vitória tem que vir, mas é óbvio que o empate com o último colocado faz com que mantenhamos a distância dele", lembrou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoCoritibaBotafogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.