Coritiba espera usar força da torcida

O Coritiba aposta no entrosamento de sua equipe para fazer uma boa apresentação no Campeonato Brasileiro e esquecer da última competição nacional, quando ficou na 17ª colocação. "Este campeonato será dos times que melhor suportarem as adversidades, a pressão da torcida e as derrotas", afirmou o técnico Paulo Bonamigo. Para ele, o mais importante é fazer a "lição de casa". "Temos que fazer do Couto Pereira uma panela de pressão para somar os pontos disputados em casa", disse o treinador, esperando contar com o apoio da torcida do Coritiba. A grande contratação para o Brasileiro é o meia Lúcio Flávio, cujos direitos federativos pertencem ao Paraná Clube, mas que vinha defendendo o São Paulo. Do Rio Branco, de Americana, veio o atacante Genilson, e do Malutrom, o meia Tcheco. O Coritiba também buscou de volta o zagueiro Edinho Baiano, que no primeiro semestre tinha se transferido para a Inter de Limeira. Ao lado desses jogadores experientes, a diretoria decidiu apostar na categoria de base, promovendo o zagueiro Juninho e o lateral Adriano. "O conhecimento que os jogadores têm dos companheiros é muito importante", avaliou Bonamigo. Em razão disso, o treinador decidiu que utilizará o esquema com três zagueiros. "É o esquema que eles estão acostumados", justificou. Time base: Fernando; Pícoli, Edinho Baiano e Juninho; Reginaldo Araújo, Reginaldo Nascimento, Roberto Brum, Lúcio Flávio e Sérgio Manoel; Da Silva e Genílson. Técnico: Bonamigo.

Agencia Estado,

09 Agosto 2002 | 15h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.