Coritiba joga para levantar o moral

Mais que obter uma vitória, o Coritiba busca elevar novamente o moral dos jogadores no jogo de amanhã, às 20h30, contra o São Paulo, no Morumbi. Afinal, eles vinham mantendo uma invencibilidade de sete partidas antes de serem derrotados domingo pelo Atlético Paranaense, maior rival. E, o que é pior, os dois gols atleticanos foram resultado de bolas cruzadas sobre a área, uma das jogadas mais treinadas pelo técnico Antônio Lopes nos dias que antecederam o clássico regional. Nos trabalhos realizados hoje, antes do embarque para São Paulo, os jogadores já tentavam mostrar mais otimismo que no dia anterior, quando o semblante de todos era de desolação. "Uma equipe vitoriosa sempre sente uma derrota", disse o volante Roberto Brum. "Mas neste campeonato não dá para comemorar muito a vitória e nem lamentar a derrota, pois tem outro confronto e sempre de alto nível", acrescentou. "O Atlético acabou e só temos o São Paulo agora, e vamos conseguir um belo resultado." Para o meia Capixaba, a confiança dos jogadores não foi abalada com a derrota de domingo, em razão de o time ter feito um bom jogo. "Se tivesse se omitido haveria preocupação", disse. "Contra o São Paulo é preciso ter atenção, não tomar os gols que estamos tomando, pois vamos lá para marcar os gols." Para o técnico, o campeonato está demonstrando uma regularidade entre todos os times. "É uma dureza, um perde e ganha muito grande, só tem equipe boa, só clássicos", acentuou. Depois do jogo de domingo, Lopes ficou sem lateral-direito para escalar amanhã. Rafinha já estava afastado por ter quebrado a mão, Jucemar está com o tornozelo direito inchado e não viajou, enquanto Pepo, volante que já jogou improvisado no setor, está com conjuntivite. Por isso, Tesser, que não vinha sendo relacionado nem mesmo para o banco, está de volta. No ataque, Alemão machucou-se, mas Tuta está de volta depois de ter cumprido suspensão.

Agencia Estado,

31 Agosto 2004 | 17h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.