Coritiba vence clássico por 3 a 2

O Coritiba teve paciência contra o Paraná Clube, neste domingo à tarde, no Estádio Couto Pereira, e venceu, de virada, por 3 a 2. Bem melhor, sobretudo no primeiro tempo, o Paraná não soube aproveitar sua força ofensiva, com os atacantes mostrando deficiência na conclusão. Apesar de não ter feito uma apresentação tecnicamente boa, o Coritiba aproveitou-se dos erros de defesa do Paraná, principalmente nas bolas altas, e comemorou os 53 pontos, que o mantém na quarta colocação. O Paraná não sentiu o peso do campo - apesar de ser o mandante, optou por jogar no estádio do adversário, visto que o Pinheirão está em reformas, e já acertou o empréstimo do Couto Pereira para as outras partidas que for disputar até meados de novembro -, tomando conta do jogo durante o primeiro tempo. Mostrando grande ambição pelo gol, o time não dava espaço para o adversário, errando apenas o lance final. O Coritiba, ao contrário, estava perdido. Os volantes Willians e Roberto Brum não conseguiam marcar os jogadores adversários, enquanto Jackson era anulado pelos paranistas. O armador Souza, por sua vez, não sabia porque havia entrado em campo. O resultado não poderia ser outro. O Paraná saiu na frente, com um gol de Renaldo, aos 30 minutos, em cobrança de pênalti. Mesmo sem merecer, o Coritiba chegou ao empate, nove minutos depois. Em falha de marcação da defesa, Willians completou de cabeça uma cobrança de escanteio de Roberto Brum. O técnico do Coritiba, Paulo Bonamigo, tentou mudar o ritmo do jogo, retirando o meia Souza para a entrada do atacante Helinho. Mas foi o Paraná quem se colocou à frente no placar. Aos 19 minutos, Marquinhos cobrou falta e a bola bateu em Ceará, que jogou contra seu próprio gol. Não deu tempo para a comemoração. Lima, aos 22, aproveitou-se do erro de posicionamento da defesa paranista e empatou. Nem a entrada de Maurílio no ataque ajudou a melhorar a pontaria do Paraná, mesmo porque logo depois o técnico Edu Marangon tirou Marquinhos, que era o melhor do time. E isso custou caro, pois o Coritiba passou a acreditar que poderia vencer e foi ajudado pela torcida. A defesa paranista também deu sua parte de colaboração e permitiu que o Coritiba fizesse uma boa jogada aos 41 minutos, que resultou no gol da virada, marcado por Marcel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.