Coritiba vence Corinthians no Morumbi

É bom a torcida ir se acostumando com as dificuldades que o Corinthians deve enfrentar no resto do Campeonato Brasileiro. O time, que já não era uma maravilha, ficou ainda mais limitado com a saída de Fábio Luciano e de Liedson. Por maior que seja o potencial desses meninos que estão sendo lançados, a falta de conjunto vai colocar em risco o futuro da equipe. Isso já ficou bem claro no jogo de hoje à tarde, no Morumbi. O Corinthians perdeu por 1 a 0 para o Coritiba mas poderia ter sido goleado não fosse o goleiro Doni, que, entre outros milagres, pegou um pênalti de Tcheco. Como era de esperar, o Corinthians teve enormes dificuldades no ataque. Sem Liedson, o time perdeu a sua melhor referência ofensiva, além de seu principal artilheiro na temporada. Leandro Amaral é outro tipo de jogador, que costuma funcionar mais preso ao setor direito, muitas vezes lembrando até um ponta-direita mas sem a precisão nos cruzamentos. O desmanche corintiano também comprometeu a principal jogada da equipe: as bolas aéreas. Sem Fábio Luciano, que marcou 4 gols só no Camponato Brasileiro, e Liedson, que fez outros 10, a maioria de cabeça, o Corinthians ficou praticamente sem alternativas ofensivas. O jogo também confirmou outra característica de Geninho: o técnico só costuma ousar depois que o time começa perdendo. Hoje, ele só resolveu tirar um de seus volantes (Wendell) por um meia ofensivo (Fumagalli) aos 14 minutos do segundo tempo, quando Marcel fez 1 a 0. Em seguida, aos 20, Geninho abriu de vez a equipe, trocando Leandro por Renato. Impossível acreditar que durante todo o primeiro tempo Geninho não tenha percebido que só dava Coritiba em campo. Edu Sales pela direita e Tcheco pelo meio fizeram uma verdadeira festa entre a defesa e o meio-de-campo corintianos, especialmente quando o ataque era feito em cima do menino Moreno. Foi por ali que o time paranaense achou o caminho e só não terminou o primeiro tempo vencendo por 2 a 0 graças ao goleiro Doni, que pegou um pênalti de Tcheco aos 30 minutos. O mesmo Doni já havia salvo o time três minutos antes, pegando uma bomba do próprio Tcheco. Na prática, a vitória do Coritiba praticamente não foi ameaçada. A primeira - única - jogada de gol do Corinthians só saiu aos 30 minutos do segundo tempo, quando Tcheco tirou a bola em cima da linha, depois de um chute de Gil, aproveitando uma confusão na área. Pior do que a justa derrota e o futebol de pouca qualidade é a perspectiva de um futuro sombrio para o resto do ano. A diretoria já anunciou que não vai contratar nenhum reforço de peso para o lugar dos que saíram. Não por falta de vontade mas porque não tem dinheiro. A Fiel, portanto, vai ter de se contentar com o que a equipe mostrou hoje.Vai ser daí para pior.

Agencia Estado,

13 de julho de 2003 | 18h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.