Felipe Rau/AE - 25/08/2012
Felipe Rau/AE - 25/08/2012

Correa pede um Palmeiras ofensivo contra a Portuguesa

Time busca reação na partida no Canindé, na quarta, e volante quer eficiência no ataque

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

28 de agosto de 2012 | 18h05

SÃO PAULO - Apesar da derrota para o Santos, no último sábado, os jogadores do Palmeiras deixaram o gramado destacando a boa atuação que tiveram. O volante Correa espera que a equipe consiga manter a mesma ofensividade para enfrentar a Portuguesa e mostra confiança para o time deixar a zona de rebaixamento.

"É um clássico, jogo fora de casa, mas nossa torcida sempre comparece em bom número no Canindé e tenho certeza que eles vão para nos apoiar. Ninguém está satisfeito com essa situação e não adianta só jogar bem. Precisamos somar pontos. Acho que é o momento de arriscar, assim como contra o Santos. Fomos um time ofensivo, criamos as melhores chances e tivemos muito mais volume de jogo. Se continuarmos nesse ritmo, vamos conseguir reagir", disse o volante, em entrevista ao site oficial do Palmeiras.

O jogador faz questão de destacar também que, apesar da má campanha no Brasileiro, o ambiente entre os jogadores continua muito bom. "Realmente é uma situação delicada, mas o mais importante é que todos aqui têm consciência do que está acontecendo e do quanto podemos ir além dos nossos limites. O grupo é bom e posso dizer que o ambiente dos atletas é ainda melhor. Acho que temos totais condições de melhorar nossa situação e deixar as últimas colocações o mais rápido possível", analisou o camisa 77.

Se o time não vai bem das pernas, o mesmo não se pode falar de Correa. O jogador marcou seu primeiro gol no retorno ao Palmeiras no último sábado, e garante que ainda pode dar mais para a equipe. "Após os treinos, tenho ficado além do horário para aperfeiçoar algumas coisas. Estava sem jogar há algum tempo, mas sempre fiquei treinando", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.