Correção: 'Bilardo tentou tirar Grondona', diz Maradona

A nota enviada anteriormente continha um erro no primeiro parágrafo. Maradona fez as revelações na última quarta-feira à noite. Segue a nota corrigida:

AE, Agencia Estado

22 de outubro de 2009 | 11h13

O técnico da seleção argentina, Diego Maradona, revelou na última quarta-feira à noite, em entrevista ao canal estatal argentino Siete, os alvos principais dos duros ataques que fez à imprensa argentina e a seus opositores após a vitória por 1 a 0 sobre o Uruguai, em Montevidéu, que classificou o seu país para a Copa do Mundo de 2010.

O treinador ressaltou que o seu desabafo, recheado até por palavrões com conotação sexual, foi motivado em muito por "uma campanha" que visava tirar Julio Grondona da presidência da AFA (Associação de Futebol Argentino). Maradona afirmou que o movimento foi impulsionado pelo empresário do meio jornalístico Daniel Vila e tinha também a participação do atual diretor técnico da seleção argentina, Carlos Bilardo.

"Vila com Bilardo queriam derrubar Grondona. E no tema da imprensa cairia Dieguito. Me agarraram e me destroçaram", afirmou Maradona, que depois explicou que seus atuais opositores tentaram persuadi-lo a entrar na campanha para derrubar Grondona quando o ídolo foi contratado para assumir a seleção argentina.

"Nesse momento estavam lutando até a morte Bilardo e Grondona, e Bilardo se associou com Vila. Eram os dois únicos que poderiam fazer sombra a Grondona. Eles queriam ter a mim como outro aliado, e como eu não lhes dei bola, seguiram (a campanha para derrubar o presidente da AFA) por sua conta", reforçou Maradona.

Maradona ainda afirmou que foi o presidente da AFA que promoveu a entrada de Bilardo na comissão técnica da seleção argentina, apesar da possível campanha contra o dirigente. "Quando eu estava em uma reunião com Grondona, ele pediu que entrasse Bilardo. E eu disse que se ele (Grondona), depois das coisas que Bilardo falou de seus filhos e de toda sua família (ainda assim) queria que ele entrasse (na comissão da seleção), por mim estava tudo bem", disse o treinador, se referindo aos possíveis ataques que Bilardo já teria feito aos familiares do presidente da AFA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.