Correção: Ex-árbitro Djalma Beltrami é preso no Rio

A nota enviada anteriormente estava incorreta. Segue a versão corrigida:

PEDRO DANTAS, Agência Estado

19 de dezembro de 2011 | 15h42

Uma operação da Polícia Civil do Rio tenta cumprir, nesta segunda-feira, o mandado de prisão de 13 policiais do 7.º Batalhão de Polícia Militar de Alcântara, em São Gonçalo (região metropolitana). Entre os que já foram detidos está o comandante da unidade, o tenente-coronel Djalma Beltrami, que ficou conhecido no País por sua atuação como árbitro de futebol.

O delegado titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, Alan Luxardo, afirmou que "possui provas visuais, testemunhais e escutas telefônicas" do envolvimento dos policiais com traficantes de drogas na região metropolitana do Rio. Ele ainda não informou o número oficial de presos na operação - também são procurados 11 traficantes.

Em pouco mais de três meses, Beltrami é o segundo comandante preso do 7.º BPM. Ele substituiu o tenente-coronel Claudio Luiz Oliveira, que foi para a prisão sob acusação de ser o mandante do assassinato da juíza Patrícia Acioli, executada com 21 tiros em agosto. A operação desta segunda-feira acontece no batalhão e no Morro da Coruja, onde um suposto traficante foi morto em confronto com a polícia.

Paulista de 45 anos de idade, Beltrami integrou o quadro de árbitros da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) de 1989 a 2011. Ele também fez parte dos quadros da CBF (de 1995 a 2010) e da Fifa (entre 2006 e 2008). Preso na manhã desta segunda-feira, o tenente-coronel nega todas as acusações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.