Correia vence graças à sua teimosia

Pouca gente apostaria que sob a aparência tranqüila e discreta em campo, o volante Correia esconderia um espírito rebelde. Com um pouco de conversa, contudo, descobre-se muito da história desse jogador que, por pouco, não fugiu de casa para ser jogador de futebol. Hoje, garante que foi graças à sua teimosia que conseguiu vencer na profissão e ser titular no Palmeiras. Correia conta que, além das dificuldades do início da carreira, teve de superar muita resistência em casa. "Meu pai não tinha uma mente muito aberta e, no começo, não deu muito apoio", conta o volante. Segundo o jogador, a determinação do soldador Armando Corrêa de que os filhos deveriam trabalhar desde cedo era tão grande que Celso, irmão mais velho, desistiu do sonho de jogar futebol. Mas Correia diz que se beneficiou pelo fato de ter sido uma criança temporã - é dez anos mais moço do que seu irmão, o que, no entanto, não poupou o volante de desafios. Os problemas começaram quando o diretor do Ituano foi pegar a autorização para que o jogador, então na categoria infantil, fosse morar em Itu. Seu Armando não queria assinar os documentos. "Disse que se ele não deixasse eu ir, fugiria de casa. Minha mãe colocou panos quentes e ele acabou concordando." Correia diz que hoje seu Armando e Celso são seus incentivadores. "Acho que consegui as coisas por teimosia." O volante garante que a mesma teimosia o levou a titular no Palmeiras. "Na reserva procurei melhorar a marcação e caprichar nos passes, meu forte." A oportunidade surgiu quando Marcinho passou mal antes de um clássico. "Acho que consegui me firmar por ter ido bem contra o Santos, marcando o principal atleta deles (Diego)." A seqüência como titular não mudou a rotina de Correia, que não se incomoda com o pouco assédio. "Prefiro ficar na minha, sou mais quieto." Hoje os jogadores do Palmeiras tiveram o dia de folga. A reapresentação foi marcada pelo técnico Jair Picerni para esta terça-feira à tarde. O time volta à campo no final de semana para jogar em Mogi Mirim.

Agencia Estado,

08 de março de 2004 | 19h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.