Correia vive dia de herói no Palmeiras

O jogo contra o Botafogo estava difícil, o empate por 1 a 1 persistia e a torcida, apreensiva, já temia o pior. Mas Correia estava no lugar certo, na hora certa. Depois do chute de Pedrinho, a bola resvalou na defesa e sobrou para o volante, que teve tranqüilidade para dominar e acertar o chute certeiro, no ângulo do goleiro Jeferson. ?Só marquei porque acreditei na jogada. Iniciei o lance e tive a felicidade de completar para o gol?, contou.Na comemoração, não teve dúvidas: homenageou a mulher, Tatiana, grávida de um mês e meio. ?Mesmo com a dificuldade que passei recentemente, quando fui para a reserva, ela me apoiou?, disse o jogador, de 23 anos. ?Será nosso primeiro filho.?Antes mesmo do gol decisivo, o jogador de 23 anos já havia participado de lances importantes: cobrou o escanteio para o primeiro gol, de Claudecir, e quase balançou as redes, quando arriscou de fora da área e por pouco não encobriu o goleiro. ?Meu forte é a bola parada, jogada que sempre deu certo, quando eu estava na equipe?, afirmou. ?Mas o gol foi mérito do Claudecir, que se posicionou bem.?Apesar da participação decisiva no triunfo ? que mantém o Palmeiras na briga pelas primeiras posições e até sonhando com o título ?, Correia sabe que não tem posição garantida e pode voltar para a reserva, sábado, contra o Grêmio. ?O mais importante é que o Estevam sabe que pode contar comigo, se precisar?, ponderou.Mas esta quarta-feira foi dia de aproveitar a fama de ?herói?. Participou de dois programas de televisão e ficou relembrando os lances diante do Botafogo. ?O que é bom, a gente sempre deve guardar na lembrança.?Para Correia, o time não repetiu contra o Botafogo o mesmo bom futebol da vitória sobre o Atlético-PR em razão do esquema tático do rival. ?Tivemos dificuldades porque o Botafogo atuou bem mais fechado?, analisou.O desafio de sábado, em Pelotas, promete ser ainda mais complicado. ?Fomos os mais prejudicados com a punição ao Grêmio, porque não atuaremos num gramado tão bom quanto o do Olímpico?, disse. ?Mesmo assim, precisamos vencer. Isso é o que importa, nessa altura do campeonato.?AMBIENTE - As três vitórias consecutivas ? Juventude, Atlético-PR e Botafogo ? transformaram o ambiente no Palmeiras. Há duas semanas, até a vaga na Taça Libertadores parecia distante. Agora, já se pensa na conquista do título. Porém, o discurso ainda é de cautela. ?Nunca deixei de acreditar, mesmo quando estávamos 12 pontos atrás do Atlético-PR?, disse o técnico Estevam Soares. ?Mas não é momento de empolgação, temos de pensar apenas no próximo jogo.?Para o treinador, a maior virtude do time nesta reta final do Campeonato Brasileiro é ter encontrado sua identidade. ?O elenco chegou a um equilíbrio físico e técnico. Agora sei com quem posso contar, e em que momentos?, comentou.Para enfrentar o Grêmio, Daniel volta à defesa. A dúvida está no meio-campo, entre Correia e Claudecir. O atacante Osmar ainda sente dores no joelho esquerdo e é dúvida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.