Lucas Figueiredo|Divulgação
Lucas Figueiredo|Divulgação

Cortejado por europeus, Rodrigo Caio procura se concentrar só na Olimpíada

Zagueiro garante que cabeça está na seleção brasileira

Almir Leite, Estadão Conteúdo

23 de julho de 2016 | 15h41

Rodrigo Caio se apresentou à seleção olímpica como jogador do São Paulo, mas quando os Jogos do Rio terminarem ele poderá já ser atleta da Lazio. O zagueiro é um dos integrantes da equipe do técnico Rogério Micale cortejados por clubes da Europa, a exemplo de Gabriel Jesus e Gabriel Barbosa. Admite a negociação, mas procura concentrar-se prioritariamente na preparação para a luta pela medalha de ouro no futebol masculino.

"Não tem como eu pensar em outra coisa a não ser a Olimpíada. Eu lutei muito para chegar aqui, estou entre os jogadores que têm oportunidade de conquistar a medalha", justificou, em entrevista coletiva neste sábado na Granja Comary, em Teresópolis (RJ). "Precisamos pensar no futuro, mas vou fazer isso quando acabar a Olimpíada".

No entanto, o jogador já foi procurado por representantes do clube italiano, que estariam propensos a pagar 12 milhões de euros (R$ cerca de 42,9 milhões) para contratá-lo. O São Paulo tem direito a 80% do valor de uma eventual venda.

Se o negócio der mesmo certo, Rodrigo Caio será companheiro do meia Felipe Anderson, que também integra a seleção olímpica. E o são-paulino diz ter afinidades com o ex-santista. "Tenho amizade com ele. Desde as primeiras convocações ficamos juntos no mesmo quarto. Mas hoje meu pensamento é na seleção".

Pensar na seleção passa pelo entrosamento com Marquinhos, com quem Rodrigo Caio compõe a dupla de zaga. E o são-paulino acredita que o entendimento atingirá um bom nível rapidamente. "Tentamos conversar bastante, eu e Marquinhos, na base do diálogo, para nos orientarmos, posicionar bem, sabemos que precisamos estar atentos com a linha alta porque nossas costas serão mais exploradas", disse. "Mas estamos bem nos treinamentos".

Tudo o que sabemos sobre:
Rodrigo CaioOlimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.