Costa Rica ainda crê em vaga e poloneses jogam a toalha

As seleções de Costa Rica e Polônia estrearam no Mundial nesta sexta-feira com derrotas, respectivamente para Alemanha (4 a 2) e Equador (2 a 0). No entanto, a assimilação do resultados negativo parece ter sido diferente para cada país.Por um lado, a imprensa polonesa se pronunciou de maneira pessimista neste sábado, não deixando nenhuma esperança para o futuro da seleção local na competição. "Já perdemos o Mundial", estampa em capa o jornal Dziennik. "Estamos abatidos e destruídos", continuou o diário, avaliando que a derrota diante dos equatorianos foi "doída". Para o matutino Rzeczpospolita, "as possibilidade de passarmos para a segunda fase se reduziram consideravelmente para a seleção polonesa".Já o diário Zycie Warszawy fez menção à eliminação da Polônia na Copa de 2002, após três derrotas na fase inicial. "O horror coreano está de volta", publicou em manchete. Por sua vez, o Gazeta Wyborcza ressaltou "o medo nos olhos, a falta de idéias, a ausência técnica e de velocidade" da equipe polonesa na partida de estréia, acrescentando que a seleção local não apresentou nível digno de Copa do Mundo, mas de "liga local".Do lado costa-riquenho, a situação parece diferente. Em entrevista concedida após o encontro diante da Alemanha, nesta sexta, o atacante Paulo Wanchope disse que ainda acredita que sua seleção poderá chegar à segunda fase. "Há quatro anos nós mostramos que tínhamos condições de chegarmos às oitavas-de-final, e podemos repetir a dose", afirmou o autor dos dois gols contra a Alemanha. "Acredito que a seleção alemã e todas as demais equipes perceberam que não existem adversários fáceis aqui. Apesar de todas as dificuldades, perdemos por causa de dois excelentes gols, o primeiro e o último, que definiram a partida". Para o atacante Ronald Gomes, a esperança continua: "Tenho certeza de que podemos vencer o Equador se jogarmos da maneira que enfrentamos a Alemanha. Saímos do campo com uma sensação muito boa".Polônia e Costa Rica voltam a campo na próxima semana, para enfrentarem respectivamente a Alemanha, na quarta-feira, e o Equador, na quinta, pelo grupo A.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.