Costa-riquenho Navas conhecia grego que errou pênalti

Destaque da classificação da Costa Rica para as quartas de final da Copa do Mundo, o goleiro Keylor Navas tinha a vantagem de conhecer Theofanis Gekas da época em que o atacante da Grécia jogava no Levante, clube em que atua o costa-riquenho. O grego teve sua cobrança defendida pelo ex-companheiro, a única perdida na disputa de pênaltis depois do empate por 1 a 1 entre as seleções, no domingo.

AE, Agência Estado

30 de junho de 2014 | 09h20

"Nós jogamos juntos e eu me lembro do que ele costumava fazer nos treinos. Eu estava confiante de que ele não mudaria a forma de bater pênaltis e no final eu fui capaz de defender", afirmou Navas, em entrevista ao site da Fifa após a partida disputada no Recife.

Os atletas atuaram juntos no Levante entre agosto e novembro de 2012, quando Gekas deixou o clube espanhol para jogar no futebol turco. O erro na quarta cobrança grega permitiu que Michael Umaña acertasse no gol seu chute e determinasse a vitória costa-riquenha nos pênaltis por 5 a 3.

"Meus companheiros também merecem elogios por acertar todas as cobranças. Isso me deu confiança e definitivamente me ajudou", afirmou Navas, que comemora o feito da Costa Rica, ao alcançar as quartas de final de um Mundial pela primeira vez. "É uma grande conquista para nós. Estamos fazendo algo muito importante para o nosso país", disse o goleiro, escolhido pela Fifa o melhor jogador da partida contra a Grécia, por suas defesas no tempo normal, na prorrogação e na cobrança de Gekas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.