Divulgação
Divulgação

Cotado para assumir o São Paulo, Cuca diz que pretende ficar na China

Treinador tem mais um ano de contrato com o Shandong Luneng

PAULO FAVERO, O Estado de S. Paulo

10 de novembro de 2015 | 18h49

Um dos cotados para substituir Doriva no comando do São Paulo, Cuca avisa que pretende seguir no Shandong Luneng, na China. Por meio do seu agente, o treinador diz que quer cumprir até o fim o seu contrato de três anos com o clube chinês - há ainda mais um ano de vínculo pela frente.

"Cuca já cumpriu dois dos três anos do contrato que foi assinado, e pretende cumprir o seu último ano normalmente. A única chance disso não acontecer é por uma excepcionalidade do futebol. O desejo dele é continuar no Shandong Luneng", afirmou Eduardo Uram, empresário do técnico.

Sempre citado como possível treinador do São Paulo, Cuca voltou a ser lembrado nesta semana por causa da inesperada demissão de Doriva, na segunda-feira. Cuca comandou o São Paulo em 2004, sem conquistas, mas nunca escondeu seu desejo de retornar ao time.

Mas o treinador não pretende fazer a rescisão contratual, pois o valor da multa é muito alto. O São Paulo também não vê como desejável pagar para tirar um treinador de outro clube. Assim, somente se a diretoria do Shandong Luneng liberar sem custos é que Cuca poderia negociar com o time paulista.

Para o diretor executivo de futebol Gustavo Vieira de Oliveira, o São Paulo não vê muito sentido em gastar com rescisões de treinadores, mas não descarta a possibilidade. "O ideal é não pagar multa, por razões financeiras, mas cada caso é um caso. Não dá para falar em teoria", afirmou o dirigente, que não vê um bom momento para contratar técnicos estrangeiros.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCCuca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.