Kerin Okten/EFE
Kerin Okten/EFE

Cotado pelo Milan, Seedorf vai chegar à Itália na quinta-feira, diz jornal

Periódico italiano fala que o jogador do Botafogo deve fazer sua estreia como técnico no próximo dia 18

O Estado de S. Paulo

13 de janeiro de 2014 | 13h17

MILÃO - Cotado para assumir o Milan em julho, a ida de Clarence Seedorf como treinador da equipe rossonera pode ser adiantada, após a demissão de Massimiliano Allegri. De acordo com o jornal Corriere Dello Sport, o meia holandês, que possui contrato com o Botafogo até o meio deste ano, deve viajar à Itália na próxima quinta-feira e assinar um contrato inicial de seis meses. 

O periódico italiano ainda crava que o holandês deve assumir a equipe no próximo dia 18, contra o Verona, pelo Campeonato Italiano. Enquanto isso, o auxiliar Mauro Tassotti irá comandar o Milan pela Copa da Itália, contra o Spezia nesta quarta-feira. Tendo a confiança da vice-presidente do time, Barbara Berlusconi, o holandês deve assinar um contrato de seis meses, que poderá ser prorrogado.

Porém, o meia que estava ausente nos últimos dias, retornou à General Severiano nesta segunda-feira. Após a bateria de exames médicos, o jogador deveria se encaminhar à Saquarema, onde o restante do elenco botafoguense faz pré-temporada. Porém, caso seja concretizado o negocio com o Milan, Seedorf deve mesmo deixar o Rio de Janeiro.

Em entrevista à agência Ansa, a representante do atleta, Deborah Martin, explicou que Seedorf pode sair do clube brasileiro se desejar. "Eu só posso dizer que no contrato com o Botafogo, ele pode sair quando quiser e sem pagar multas, a menos que ele vá ele vá para outro time como jogador", afirmou a empresária, que também esclareceu que o holandês concluiu o seu curso de treinador e pode dirigir o clube de acordo com as leis italianas.

O meia chegou ao Botafogo no meio de 2012, vindo do próprio Milan. No time carioca, Seedorf assumiu a camisa 10 e foi o principal jogador da equipe no título do Campeonato Carioca e na classificação para a Libertadores deste ano. No clube rossonero, o meia atuou entre 2002 a 2012 e é ídolo da torcida. Caso realmente saia, o holandês de 37 anos terá a sua primeira experiência como treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.