Coupet teve um "curto-circuito", diz técnico da França

O técnico da seleção francesa, Raymond Domenech, minimizou a crise envolvendo o goleiro Gregory Coupet, que abandonou a concentração da equipe na quarta-feira, levando embora a família e a bagagem, mas voltou cerca de meia hora depois. "Foi um curto-circuito, ele passou por um momento de estresse e perdeu a razão, mas isso acontece a qualquer um", disse Domenech. "Ele se foi, voltou e ninguém deu muita atenção a isso", completou. Coupet estava incomodado por ficar na reserva de Barthez, embora tenha sido o titular na maior parte da campanha das Eliminatórias, além de fechar o gol do Lyon na conquista do pentacampeonato francês, enquanto Barthez teve uma temporada irregular no Olympique de Marselha - pelo quarto ano seguido, Coupet foi escolhido o melhor goleiro da competição. Na quarta-feira, Barthez abandonou um treino físico numa geleira - a França se concentra nos Alpes - por causa de dores na panturrilha. O fato irritou ainda mais o goleiro reserva, que empacotou sua bagagem e foi embora, para depois se arrepender e voltar. "Nos demos explicações mútuas e tudo se acertou rapidamente. Ele sabe que é um goleiro muito bom, mas a seleção está acima do individual", disse Domenech, que criou a polêmica ao anunciar Barthez como seu único titular, dias depois da convocação - os outros dez, segundo ele, serão definidos nos três amistosos finais de preparação: contra o México, sábado, no Stade de France; a Dinamarca, no dia 31, em Lens, e a China, em 7 de junho, em Saint-Étienne. Na quinta-feira, Coupet participou normalmente de treinos técnicos ao lado de Barthez, embora os dois Nal tenham se cumprimentado. Na saída, os torcedores presentes gritaram o nome do reserva.

Agencia Estado,

25 Maio 2006 | 13h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.