HENRY ROMERO/REUTERS
HENRY ROMERO/REUTERS

Coutinho vira principal referência da seleção para a Copa América

Expectativa é de que, sem Neymar, o jogador do Barcelona assuma o protagonismo

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2019 | 09h00

Sem Neymar, cortado por causa de uma lesão de tornozelo, Philippe Coutinho foi quem mais se destacou nos amistosos pré-Copa América e chega embalado para a competição. A expectativa, inclusive, é de que o jogador do Barcelona assuma o protagonismo na seleção brasileira na competição. O Brasil estreia nesta sexta-feira, às 21h30, contra a Bolívia, no Morumbi.

Philippe Coutinho tem atuado mais centralizado e é o principal responsável pela armação das jogadas de ataque. No novo esquema montado por Tite, ele tem tido mais liberdade, sem se preocupar tanto com a marcação.

Contra Honduras, domingo, em Porto Alegre, ele fez um gol de pênalti e acertou duas bolas na trave. Diante do Catar, na semana passada, foi o melhor em campo. Depois que Philippe Coutinho foi substituído no segundo tempo o time sentiu demais a sua ausência, sobretudo pela falta de criatividade no meio de campo.

O curioso é que Philippe Coutinho vive bom momento na seleção depois de uma temporada irregular no Barcelona. Sem conseguir emplacar uma sequência de boas atuações, perdeu espaço com o técnico Ernesto Valverde e ficou no banco em várias partidas. No clube catalão desde janeiro de 2018, o brasileiro disputou 76 jogos e marcou 22 gols no Barcelona.

A instabilidade de Philippe Coutinho na Espanha deve fazer com que o brasileiro mude de clube nesta janela de transferências. A imprensa espanhola especula que o jogador pode se transferir para o Paris Saint-Germain, da França. Existe até a possibilidade de uma eventual troca de Coutinho por Neymar.

Na seleção, a situação é totalmente diferente. Os próprios jogadores não escondem que o meia é a referência da equipe. Depois da goleada por 7 a 0 sobre Honduras, o zagueiro Thiago Silva, 34 anos, um dos mais experientes do grupo, puxou o coro de elogios a Coutinho.

"Ele está chamando a responsabilidade. Sem o Neymar, nossa grande estrela, o Couto é a nossa referência", afirmou o zagueiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.