CPI da Nike ouve Edinho nesta quarta

A CPI da CBF/Nike definiu o calendário de atividades para os próximos 30 dias, marcando depoimentos como os de Wanderley Luxemburgo e do presidente da CBF, Ricardo Teixeira.No calendário de março a comissão marcou para amanhã, às 14h30, o depoimento do empresário Edinho, ex-jogador do Fluminense e da Seleção Brasileira, acusado da expedição de passaportes falsos, que teriam sido usados por Aléx e Aloísio, do Saint Etiènne, da França. No dia 20, acontece um painel, sobre legislação esportiva, com a presença do advogado geral da União, Gilmar Mendes, o ex-jogador Zico, o especialista Marcilio Krieger e um representante da Fundação Getúlio Vargas. Na quarta-feira (21), a comissão toma o depoimento do presidente da Federação Paranaense de Futebol, o ex-deputado Onaireves Moura. Na quinta-feira (22), será a vez do jogador Roberto Carlos, do Real Madrid, da Espanha, explicar na comissão a crise porque passou o jogador Ronaldinho, no final da Copa do Mundo da França, em 1998. No dia 27, ainda sem conferencistas definidos, a CPI realiza um novo painel sobre legislação esportiva. No dia 29 ouve um representante da Nike, sobre o contrato que multinacional mantém com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e no dia 30, encerrando as atividades do mês, representantes da CPI viajam a São Paulo onde ouvem o depoimento de Eduardo Farah, presidente da Federação Paulista de Futebol. Em abril, a CPI realiza mais um painel, no dia 3 e, na quarta-feira (4) colhe o depoimento do ex-técnico da Seleção Brasileira, Wanderley Luxemburgo. Finalizando essa fase, em 10 de abril, a comissão ouve o presidente da CBF Ricardo Teixeira. A expectativa do relator da CPI, deputado Silvio Torres, (PSDB-SP) é de se votar, "possivelmente na reunião ordinária de 28 de março", o requerimento da prorrogação dos trabalhos da comissão por mais 60 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.