Walter Bieri/EFE
Walter Bieri/EFE

CPI do Futebol aprova requerimento para ouvir Marin na Suíça

Comissão também irá aos EUA em busca de informações do FBI

ISADORA PERON, Estadão Conteúdo

04 de agosto de 2015 | 17h37

A CPI do Futebol no Senado aprovou nesta terça-feira um requerimento para que uma comitiva de três senadores vá à Suíça para ouvir o ex-presidente da CBF José Maria Marin, que está preso em Zurique desde o dia 27 de maio. Também foi aprovada a ida de membros da CPI para os Estados Unidos para colher o depoimento do dono da empresa de marketing esportivo Traffic José Hawilla, uma das peças centrais da investigação do FBI, que aceitou a fazer delação premiada sobre o caso de corrupção da Fifa.

Integrantes da comissão também irão aos EUA em busca de mais informações sobre as investigações que estão sendo conduzidas pela Justiça americana. Em outra frente, a CPI aprovou ainda um convite para ouvir os presidentes de todas as 27 federações de futebol do País.

Presidente da comissão, o ex-jogador Romário (PSB-RJ) colocou os requerimentos em votação mesmo sob o protesto de alguns senadores, que argumentaram que era preciso primeiro aprovar o plano de trabalho da CPI. A apresentação do roteiro foi adiada porque o relator da comissão, senador Romero Jucá (PMDB-RR), não compareceu à reunião.

Escalado pelo PMDB para ditar o ritmo das investigações, já que nomes importantes da sigla mantêm estreitas ligações com a CBF, Jucá não compareceu à sessão da CPI. Romário, no entanto, minimizou a ausência do relator, e disse que ele estava tratando de outros temas importantes para o Brasil. Na mesma hora, Jucá participou de um almoço com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

Questionado se estava preocupado com o ritmo dos trabalhos da CPI, o ex-jogador disse que ia atuar para que as investigações dessem resultado e que era normal haver pessoas que não tivessem interesse no avanço das apurações.

"No que se refere à moralização do futebol, da minha parte vocês vão ver um presidente da CPI bastante atuante, trabalhando bastante. A gente vai investigar a fundo tudo aquilo que é ruim, negativo e criminoso no nosso futebol", disse.

Romário anunciou ainda que vai ter uma reunião nesta terça-feira com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, com o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, e com o Diretor-Geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, para conversar sobre possíveis contribuições desses órgãos para a CPI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.