Evelson de Freitas|Estadão
Evelson de Freitas|Estadão

CPI envia convite para ouvir Del Nero e Ricardo Teixeira durante Olimpíada

Romário ressalta 'oportunidade grande de mudarmos a história do futebol'

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2016 | 15h31

A CPI do Futebol resolveu aproveitar as duas partidas que a Seleção Brasileira fará em Brasília durante as Olimpíadas e enviar convites para que o atual presidente da CBF, Marco Polo del Nero, e o ex-dirigente da confederação, Ricardo Teixeira, venham ao Senado prestar depoimento. A Seleção enfrenta a África do Sul no dia 4 de agosto e o Iraque, no dia 7, ambas no Estádio Nacional Mané Garrincha. 

"No futebol, tem que haver uma mudança urgente. Nós temos agora em mãos uma oportunidade grande de mudarmos um pouco a história do nosso futebol, principalmente no que se refere à moralidade", disse o senador e ex-jogador Romário (PSB-RJ), autor dos convites.

Por se tratarem de convites, os cartolas da CBF não são obrigados a comparecer à CPI. Os dirigentes fazem o possível para não terem de enfrentar o colegiado. Del Nero depôs aos senadores uma vez, mas sob a ameaça de condução coercitiva da Polícia Federal, já que ele faltou duas vezes após intimação. 

O convite é uma ideia do senador Romário para retomar os trabalho da comissão, que estão interrompidos há mais de três meses após atuação do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O peemedebista anulou a reunião que aprovou requerimentos de convocação (comparecimento obrigatório) do atual e ex-dirigente da CBF, além de outros nomes ligados a instituição.

Impedido de dar prosseguimento à investigação, Romário, que preside a CPI do Futebol, preferiu suspender a comissão. Ele aguarda a deliberação de um recurso sobre a decisão de Renan Calheiros que deve ser votado pelo plenário do Senado. Entretanto, para que o recurso seja apreciado, ele precisa ser colocado na pauta de votações, uma decisão que cabe apenas ao presidente do Senado e, aparentemente, não conta com o menor entusiasmo de Renan.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.