Beto Barata/Estadão
Beto Barata/Estadão

CPI do Futebol pede à CBF contratos dos amistosos da seleção

Em audiência nesta terça, senadores cobram informações dos jogos

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

18 de agosto de 2015 | 12h11

Em audiência realizada nesta terça-feira, 18, em Brasília, a CPI do Futebol, comandada pelo ex-jogador Romário (PSB-RJ), decidiu solicitar que a CBF apresente todos os contratos referentes aos amistosos da seleção brasileira realizados nos últimos dez anos.

A expectativa é que o requerimento seja aprovado na próxima quinta-feira, em uma nova sessão já convocada pelo colegiado. “Nós vamos fazer uma série de pedidos de informação sobre contratos que a CBF tem a nível internacional e local. Não só de organização e da comercialização da imagem da seleção brasileira, mas também de patrocínio”, disse o relator da comissão, senador Romero Jucá (PMDB-RR).

 

A CPI quer investigar, por exemplo, os acordos comerciais entre a CBF e as empresas ISE e a Plausus, responsáveis pelos jogos da seleção desde a temporada 2006. A expectativa é que todas as empresas envolvidas com a entidade sejam investigadas pelo colegiado. Em maio deste ano, o Estado revelou acordos entre a CBF e essas empresas. A entidade, hoje comandada por Marco Polo del Nero, “vendeu” a seleção a parceiras, com lucros exorbitantes para seus agentes.

Essas reportagens foram assinadas pelo jornalista do Estado, Jamil Chade, que participou de audiência no senado nesta terça (veja vídeo abaixo)e entregou cópias de três contratos à CPI. Os documentos tratam de negociações envolvendo jogos amistosos da seleção  entre os anos de 2006 e 2022.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.