CPI enfrenta resistência na Câmara

A CPI da CBF/Nike corre sério risco de ter os seus trabalhos de investigação interrompidos em duas semanas se o colégio de líderes da Câmara dos Deputados não acatar a decisão do plenário da comissão de prorrogar os seus trabalhos por mais 60 dias.O presidente da CPI, deputado Aldo Rebelo (PCdoB -SP) disse nesta terça-feira que foi informado pelo presidente da Câmara, deputado Aécio Neves (PSDB-MG), de que alguns líderes partidários não aceitam prorrogar os trabalhos da CPI por mais 60 dias. Segundo Rebelo, "ou se prorrogam os trabalhos da Comissão por dois meses ou a CPI conclui as investigações em 13 de abril e aí os trabalhos estarão prejudicados", afirmou Rebelo.O deputado Eurico Miranda (PPB-RJ) afirmou há pouco à Agência Estado que "existe uma pressão muito grande da CBF para se encerrar os trabalhos da CPI o quanto antes. Eu mesmo fui abordado várias vezes", confirmou o presidente do Vasco. A decisão sobre prorrogar ou não os trabalhos da CPI somente será analisada pelo plenário da Câmara na próxima quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.