CPI fala com médicos de depoente

Uma delegação da CPI do Futebol, formada pelo delegado da Polícia Federal, Luiz Carlos Zubcov, por dois médicos do Senado e por assessores da comissão, esteve nesta sexta-feira no Rio investigando se o funcionário do Vasco, Aremithas José de Lima, tem realmente problemas de saúde que o teriam impedido de depor. O diretor do Hospital de Clínicas Doutor Aloan, em São Cristovão, zona norte, José Aloan, explicou que Lima esteve internado entre os dias 12 e 16 de fevereiro, por causa de um infarto, além de ser um paciente diabético e hipertenso. O funcionário vascaíno é suspeito de ser um "laranja" do presidente do clube Eurico Miranda.Aloan entregou aos funcionários do Senado o prontuário médico contendo todas as informações sobre Lima. No hospital, os enviados da CPI conversaram com a médica responsável pelo tratamento de saúde do funcionário do Vasco. O diretor do Hospital não quis revelar o nome da médica, mas confirmou que Lima esteve no local depois da internação e solicitou o atestado apresentado na Comissão, datado do dia 6 de março, em uma consulta com ela.O diretor do Hospital não soube precisar se Lima tinha ou não condições de depor na CPI, na quarta-feira. Segundo ele, "seria necessário realizar novos exames no paciente". Os funcionários da CPI informaram que até terça-feira entregarão aos senadores da CPI um relatório sobre a "missão" no Rio. A delegação foi formada por dois médicos, dois assessores e um delegado da Polícia Federal.Lima começou a ser investigado depois que os integrantes da CPI do Futebol constataram que um depósito de R$ 2,3 milhões foi feito pela Vasco da Gama Licenciamentos S/A (Vascolic S/A) em sua conta. Os senadores suspeitam que o dinheiro depositado pertença a Eurico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.