CPI fecha cerco contra passaportes

O relator da CPI da CBF/Nike, deputado Silvio Torres (PSDB-SP), disse que na próxima semana, a comissão "começa a fechar o cerco contra os passaportes falsos", com o depoimento do ex-jogador Edinho, marcado para a terça-feira (6). Dois jogadores, Aloízio e Alex, que atuam no Saint Etiènne, da França, já confessaram, durante depoimento na CPI, que usaram passaportes falsos, fornecidos pelo empresário. Tanto Aloízio como Alex negaram, durante o depoimento, que tivessem conhecimento de que o documento era falso. "Eu confio no Edinho, os meus negócios estão entregues a ele e ele disse que eu podia assinar e eu assinei", admitiu Aloízio. Edinho deveria depor na semana passada, mas teve a sua ia à CPI adiada. "Havia o risco o seu depoimento ser confrontado com o do Aloízio", admitiu um parlamentar integrante da comissão. O ex-jogador alegou, por meio de seu advogado, que estava viajando. Na CPI da CBF/Nike, a expectativa é não apresentar propostas de alteração na legislação esportiva "separada da comissão do Senado. Para nós é importante que todo o trabalho que já vimos realizando possa complementar as investigações e proposituras da CPI do Senado", admitiu o relator Silvio Torres. Nas próximas semanas, quando os primeiros sub-relatórios de passaportes falsos e de federações estiverem sendo elaborado, a CPI da CBF/Nike vai realizar um debate, em torno do fim da lei do passe, marcado para 26 de março. A comissão ainda não tem data para o debate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.