CPI ouve investigações sobre bingo

A CPI do Futebol, instalada no Senado Federal, começou a ouvir nesta quarta-feira o depoimento do procurador da República Celso Antonio Tres, que investiga a ligação entre as casas de bingo na serra gaúcha e suas ações que levam aos crimes de "lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e corrupção", conforme disse o procurador.Celso Antonio Tres disse que nos últimos anos as contas CC5, criadas e fiscalizadas pelo Banco Central, já remeteram, para o exterior, nos últimos anos, US$ 124 bilhões e "a maior parte, com vícios de origem", segundo o procurador que investiga diretamente uma empresa gaúcha, de propriedade do empresário Luiz Carlos Festugado. A empresa já foi autuada pela Receita Federal por sonegação fiscal, em R$ 34 milhões.O procurador Celso Antonio Tres defendeu penas mais "pesadas" para os crimes de sonegação. "Eu entendo que, como está na lei, as penas de 6 meses a 2 anos de prisão são muito pouco. Penso que essas penas deveriam ser ampliadas para de 2 a 5 anos de prisão", defendeu Tres. Após o depoimento de Celso Antonio Tres, será a vez da CPI ouvir a procuradora Raquel Branquinho que, no Rio de Janeiro, também investiga a "delicada" relação entre clubes de futebol no estado e as casas de bingo.Após ouvir Raquel, está previsto o depoimento do terceiro procurador, Daniel Prazeres, também do Rio de Janeiro, que investiga o Botafogo. Segundo o relator da CPI, senador Geraldo Althoff (PFL-SC), o depoimento de Prazeres será secreto, "a pedido do procurador", garantiu Althoff.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.