CPI: palmeirense pede sessão secreta

A CPI do Futebol começou, há pouco, a ouvir o depoimento do líder da oposição no Palmeiras, Seraphim Del Grande, convocado para prestar informações sobre eventuais ?irregularidades administrativas no clube e sobre o fim da parceria com a Parmalat?. Vice-presidente de Futebol do Palmeiras entre 1993 e 1996 e presidente do Conselho Deliberativo entre 1991 e 1992, Del Grande criticou o que chamou de ?falta de rotatividade nos cargos diretivos do clube? e o sistema de sucessão. Em seguida, pediu ao presidente da CPI, senador Alvaro Dias (PSDB), para falar em sessão secreta da comissão. Nesse depoimento reservado, Del Grande deve detalhar mais informações sobre a parceria do Palmeiras com a Parmalat e a criação da Palmeiras S/A que, segundo ele, só foi comunicada ao conselho do clube um ano após a criação da empresa. "E o que é de se desconfiar", disse Del Grande, "é que os sócios da empresa são dirigentes do próprio Palmeiras", denunciou. Após a sessão secreta os trabalhos na CPI do Futebol serão reabertos com o depoimento de Mário Cupelo, vice-presidente administrativo do Vasco da Gama. Pela maneira como se preparou, a sessão promete ser repleta de interrogações a Cupelo. Todo um aparato tecnológico, com coputadores e projetores de imagem, foi montado pela assessoria dos senadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.