CPI vai investigar Federação carioca

A partir do dia 19 de fevereiro, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) será investigada por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembléia Legislativa. O deputado estadual Bernard Rajzman (PSB-RJ) informou que entrará com o pedido logo após o recesso parlamentar.?Está acontecendo muita coisa errada e não podemos mais conviver com isso?, protestou Rajzman, ex-jogador de vôlei. ?Comecei a apurar algumas denúncias no ano passado e convidei os dirigentes da Federação para uma conversa, mas ninguém apareceu?. Um dos principais motivos da irritação de Rajzman hoje foram as denúncias feitas através da imprensa pelo ex-funcionário da Ferj, David Jorge Tavares Lima. Portador da carteira nº 001 do quadro móvel da entidade, Tavares Lima acusou o presidente da entidade, Eduardo Viana, e um dos seus vice-presidentes, Francisco Aguiar, de fraude, apropriação indébita e roubo.Segundo Tavares Lima, seu serviço era o de fraudar os borderôs (documento de prestação de contas de jogos) para encobrir os desfalques realizados por Viana e Aguiar. Como coordenador geral do Quadro Móvel de Funcionários da Ferj, ele disse ter decidido fazer as denúncias, pois precisou de um auxílio médico e não foi atendido pelo dois dirigentes. Afastado, depois de trabalhar por 40 anos no futebol carioca, ele foi substituído por outros funcionários.

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2002 | 19h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.