Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

CPI vai notificar Fifa por passaportes

O presidente da CPI, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), garantiu nesta quarta-feira que o episódio que envolve os jogadores Aloisio e Alex no escândalo de passaportes falsos "é a maior prova de que dirigentes de clubes europeus têm participação no esquema". Até agora, a comissão já identificou "algumas dezenas" de jogadores brasileiros utilizando passaportes falsos para jogar em clubes da Europa. Rebelo afirmou que a CPI notificará a Federação Internacional de Futebol (Fifa) sobre a questão.O relator da comissão, deputado Sílvio Torres (PSDB-SP), disse que as informações já coletadas permitem a CPI fazer um mapeamento do esquema de falsificação de passaportes. Segundo Torres, a CPI vai pedir às embaixadas dos países onde os jogadores brasileiros atuam uma investigação rigorosa sobre a emissão de passaportes. A intenção dos deputados, de acordo com Torres, é evitar que os brasileiros se envolvam em escândalos futuros.Aloisio & Edinho - A CPI da CBF/Nike vai intimar o ex-jogador Edinho a depor à comissão após o carnaval. O ex-zagueiro do Fluminense e da seleção brasileira é acusado de fornecer passaportes falsos para Aloisio e Alex, ambos jogadores do Saint Etienne, da França. "Se ele se recusar, poderá até ser conduzido coercitivamente à comissão", alertou o presidente da CPI, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP).Edinho deveria ter prestado depoimento nesta quarta-feira, mas a CPI não o localizou para oficializar a convocação. O advogado do ex-jogador informou que ele não compareceu por estar em viagem ao exterior. A data da intimação de Edinho será definida no dia 6 de março. Na reunião, a comissão também aprovará a lista das pessoas que serão convocadas a depor. Rebelo disse que a CPI ainda tem uma relação com 30 nomes de pessoas que deverão ser ouvidas nos próximos meses.Nesta quarta-feira, a CPI ouviu o jogador Aloisio José da Silva, ex-Goiás, cujo passe foi vendido ao Saint Etienne por US$ 4,2 milhões. Atualmente, o jogador cumpre suspensão de um mês do campeonato francês por usar passaporte comunitário falso. Aloísio disse à CPI que não sabia que seu passaporte português era falso. Ele contou ainda aos deputados que foi o próprio presidente do clube, Gérard Soler, quem lhe ofereceu o documento.O jogador disse à CPI ter conversado com o ex-jogador Edinho, seu procurador junto ao Saint Etienne, sobre o passaporte que o clube estava providenciando para ele. "Só fiquei com o passaporte porque eles (Edinho e Gérard) garantiram que estava tudo legal", revelou Aloisio, que responde a processo na justiça francesa por uso ilegal de documento. Aloisio acrescentou, ainda, que aceitou o passaporte em função do seu grau de confiança no ex-jogador Edinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.