CPI vai ouvir dirigentes nordestinos

A CPI da CBF/Nike realiza neste sábado, audiência pública, na Câmara Municipal de João Pessoa (PB), para ouvir dirigentes das oito federações de futebol do Nordeste, além de representantes de clubes e especialistas em direito esportivo. De acordo com o sub-relator de federações, na CPI, deputado Doutor Rosinha (PT-PR), "nada mais surpreenderá à comissão". Para ele, "a desorganização administrativa e o caos na contabilidade das federações de futebol" foram a tônica das conclusões a que chegou a comissão, durante a audiência desta quinta-feira, em Manaus (AM), quando foram ouvidos dirigentes das federações estaduais do Amazonas, Acre, Pará, Amapá, Roraima e Rondônia. "Infelizmente, pelo que a gente já viu, de Sul a Norte, e também no Centro do País, a situação é bastante crítica", disse Rosinha. "O que muitas federações nos apresentaram não pode ser chamado de contabilidade", desabafou.A CPI constatou, em Manaus, falta de livro contábil e até mesmo de cópia dos cheques emitidos. "Muitas vezes os dirigentes usam os recursos em proveito próprio", afirmou Doutor Rosinha, quando lembrou a situação do presidente da Federação Amazonense, Dissica Valério Tomaz, que recebeu R$ 290 mil da CBF, mas não depositou o dinheiro na conta da federação. "Outro cheque de R$ 40 mil transferido da CBF para a federação acabou sendo depositado na conta de uma concessionária de automóveis", destacou Rosinha.A CPI também descobriu sonegação de impostos, de contribuição previdenciária e do FGTS. "Não tem contabilidade, não tem nada. Eu disse aos presidentes que, quando existe a desorganização, fica a dúvida se é mesmo desorganização ou se é fraude. É um caos?, constatou outro sub-relator, o deputado Olímpio Pires (PDT-MG), que acompanha as investigações. Para ele "a situação dos dirigentes é preocupante". Pires e Rosinha deram prazo de uma semana para que as federações forneçam à CPI o registro da movimentação financeira. "Se eles não cumprirem esse prazo", disse Olímpio Pires, os dirigentes "serão apontados no relatório final como autores das fraudes no futebol", ameaçou Olímpio Pires.A audiência pública, para ouvir os dirigentes nordestinos, está marcada para 9 horas, e foram convocados os presidentes da Federação Maranhense, Carlos Alberto Ferreira; da Bahiana, Ednaldo Rodrigues Gomes; da Cearense, Fares Cândido Lopes; da Paraibana, Rosilene de Araújo Gomes; da Pernambucana, Carlos Alberto Gomes de Oliveira; da Federação do Piauí, Luís Joaquim Lula Ferreira; da Federação norte-riograndense, Nilson Gomes da Costa; da Federação Sergipana, José Carivaldo de Souza; da Federação Alagoan a, José Raimundo Soares Alexandre.Foram convocados, ainda, o dirigente do Campinense Clube, Lamir Motta; o advogado, Laércio de Almeida; o ex-presidente do Botafogo Futebol Clube (PB), Nelson Lira; e do jornalista Herbert Fontenele Filho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.