CPMI da Copa já conta com assinaturas necessárias para implantação

Ao todo 186 deputados e 28 senadores concordaram com a abertura das investigações

VALMAR HUPSEL FILHO, O Estado de S. Paulo

23 de julho de 2013 | 19h26

SÃO PAULO - A criação da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de inquérito) da Copa do Mundo de 2014 já conta com assinaturas necessárias para sua implantação. Ao todo 186 deputados e 28 senadores concordaram com a abertura das investigações, conforme conferência das assinaturas encerrada nesta terça-feira, 23, pela Mesa Diretora do Senado.

O número mínimo necessário para a instalação da CPMI é de 171 deputados e 27 senadores.

O requerimento agora deve ser lido em sessão conjunta no Congresso, que pode acontecer no próximo dia 20 de agosto. A decisão, no entanto, cabe ao presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

No dia da leitura do requerimento, deputados e senadores têm até a meia noite para retirar ou inserir novas assinaturas no requerimento. É o prazo que o Executivo tem para convencer parlamentares a retirar assinaturas necessárias para que a CPMI não seja instalada.

Para o autor do requerimento, deputado Izalci Ferreira (PSDB-DF), existe clima para a instalação da CPMI. "Ela faz parte da demanda que surgiu das ruas", disse.

Caso venha a ser instalada, a CPMI da Copa vai investigar supostas irregularidades na aplicação de recursos públicos para a construção de estádios e obras de infraestrutura para a realização da competição. De acordo com o deputado, há indícios de irregularidades, como pareceres indicativos de tribunais de contas. "Basta comparar custos para a construção dos estádios do Grêmio, em Porto Alegre, e o Mané Garrincha, em Brasília. São arenas de tamanhos e capacidades de público semelhantes, mas um custou três vezes mais que o outro", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.