Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

'CR7 tem o direito de se sentir o melhor da história', diz Ronaldo

Ex-atacante brasileiro elogia carreira de português, que nesta semana ganhou pela quinta vez a Bola de Ouro

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

10 de dezembro de 2017 | 17h01

O ex-atacante Ronaldo elogiou neste domingo o quase xará português Cristiano Ronaldo. Durante participação em evento de escolinhas de futebol em São Paulo, o maior artilheiro do Brasil em Copas do Mundo disse que o atual atacante do Real Madrid tem condições de se sentir o melhor da história do futebol, pelos feitos conquistados nos últimos anos e os números expressivos da carreira.

+ Ronaldo descarta cargo na diretoria do Corinthians

+ Real Madrid viaja ao Mundial de Clubes sem baixas

O ex-jogador de 41 anos foi à periferia da zona sul da capital paulista acompanhar um torneio sub-13 e ao ser questionado sobre a declaração dada recentemente pelo português, que se disse o melhor da história, ele ressaltou a carreira de Cristiano. "Ele tem todo o direito de se sentir assim, porque tem conseguido coisas fantásticas. Se falarmos em termos de números, ele realmente está acima de grandes lendas do futebol mundial", afirmou o brasileiro.

Cristiano Ronaldo disse na última semana ser o melhor da história em evento de entrega da Bola de Ouro, promovido pela revista francesa France Football. Foi a quinta premiação da categoria dada ao português. "Ele ganhou cinco vezes a Bola de Ouro, é um marco, assim como outros tantos dele. O Cristiano tem conseguido coisas fantásticas e é mais do que merecido ele se sentir importante na história", disse. Ronaldo mora em Madri e participa regularmente de eventos do Real. 

O campeão mundial com a seleção brasileira em 1994 e 2002 esteve na Rússia no começo do mês para o sorteio dos grupos da Copa e disse estar confiante para a competição. "O grupo do Brasil está bem tranquilo. Não vamos enfrentar dificuldades para passar de fase em primeiro lugar", afirmou. "Estou muito animado com a Copa e esperançoso com a seleção brasileira, que depois da Olimpíada engrenou uma boa continuidade", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.