Divulgação/Bridgestone
Divulgação/Bridgestone

Craque da Libertadores ganhará anel de 122 diamantes inspirado no estádio Centenário

Weverton, Raphael Veiga e Rony, do Palmeiras, e Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol, do Flamengo, estão na disputa para levar a joia com as cores da bandeira do Uruguai

Ricardo Magatti, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2021 | 23h42

O melhor jogador da Libertadores 2021 será premiado com um anel de diamante, safira e topázio. A Bridgestone, patrocinadora da competição, apresentou a joia na noite desta quinta-feira. O prêmio será entregue na cerimônia ao final da decisão continental em Montevidéu, no Uruguai, no próximo dia 27. Weverton, Raphael Veiga e Rony concorrem pelo Palmeiras e Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol são os representantes do Flamengo.

O craque da Libertadores será eleito por votação popular, que está aberta desde 28 de outubro, e também por uma comissão escolhida pela Conmebol que tem peso maior para definir o vencedorOs torcedores podem votar em seu atleta preferido entre os seis concorrentes no site fanbridgestone.com. Os seis jogadores foram selecionados como consequência da soma de troféus que ganharam como melhor das partidas - Best of the Match - ao longo do torneio. 

A Bridgestone revelou o anel desta edição em evento no Museu do Futebol, no estádio do Pacaembu, apresentado pelo comentarista e ex-jogador Caio Ribeiro. A joia foi idealizada com a ideia de representar a origem de um jogador de futebol, que dá seus primeiros passos nos campos, quadras, areia ou até mesmo no asfalto. Existe no interior da peça uma pequena pedra que faz menção a um campinho de futebol.

"É uma forma de inspirar as novas gerações", afirmou Marcos Silveira, gerente de marketing da Bridgestone América Latina Sul. "Destacamos essa pedra para celebrar o chão onde nascem as verdadeiras joias do futebol sul-americano e, além disso, desejamos incentivar as novas gerações de jogadores no continente e homenagear as origens do nosso futebol".  

O anel de ouro 18 quilates traz consigo dez diamantes que representam os países dos times que disputam a principal competição de clubes do continente, além de safira amarela e topázio azul. A peça é inspirada no estádio Centenário, que foi palco da primeira final da Copa do Mundo e neste ano recebe a decisão da Libertadores.

Com 122 diamantes, uma safira amarela, um topázio azul e um cabochon de quartzo transparente, a joia foi desenhada com riqueza de detalhes e simbologias. No interior do anel, uma safira amarela, um diamante e um topázio azul homenageiam a bandeira do Uruguai.

O valor do anel não é revelado. "É algo que não tem preço. Inestimável", limitou-se a dizer o executivo da empresa. Segundo Silveira, em 2019, torcedores de Flamengo e Rive Plate, finalistas daquela edição da Libertadores, fizeram uma aposta nas redes sociais a fim de acertar o valor da joia, mas ninguém chegou perto disso.

A honraria é concedida ao craque da Libertadores desde 2019, quando Bruno Henrique levou para casa um anel de 128 diamantes desenhado em alusão à taça do torneio. Em 2020, Marinho foi o mais votado e faturou a joia com 131 diamantes, desenvolvido em homenagem ao  Maracanã. O atacante do Santos, aliás, tatuou a joia em seu corpo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.